MG: Cadela ferida por explosivo em Juiz de Fora não tem previsão de alta

MG: Cadela ferida por explosivo em Juiz de Fora não tem previsão de alta

Ela abocanhou estalinhos e bomba ‘cabeça de nego’ jogada por suspeito. Segundo veterinária, exames descartaram lesões internas no animal.

MG juizdefora recuperando1

Está se recuperando bem a cadela Atena, ferida após abocanhar explosivos que teriam sido jogados por um suspeito na última quarta-feira (20). A informação é da veterinária Gisele Passos, responsável pelo tratamento do animal. O homem suspeito foi detido e levado para a delegacia, onde prestou depoimento e foi liberado. O caso está em andamento na Polícia Civil de Juiz de Fora.

“A Atena está bem, melhorando a cada momento. Está mais animadinha e se alimentou, o que ela não conseguiu antes, porque fraturou um canino. Agora aos pouquinhos, ela está comendo alimentos mais úmidos, porque ainda está com dor. Mesmo assim, a gente está feliz com a evolução do quadro dela”, disse ao G1 nesta sexta-feira (22).

Atena foi levada à clínica veterinária particular após o caso ser descoberto e registrado pela Polícia Militar (PM). Exames descartaram ferimentos internos. “Foi feito o ultrassom abdominal e não foi encontrada lesão. No entanto, desconfiamos de algum ferimento na cavidade nasal porque ainda há sangramentos no focinho. Estamos tratando isso”, explicou Gisele.

A veterinária destacou características do comportamento da cadela, sem raça definida. “Ela é muito dócil, boazinha e mansinha, apesar de ainda estar assustada com o que aconteceu”. Desde a divulgação do caso, a clínica já recebeu sondagens sobre adoção. No entanto, ainda não houve pedido formalizado, porque depende da alta de Atena. “Houve perguntas, mas ela ainda precisa de exames e medicamentos. Ainda não temos a previsão de alta. Houve perguntas e esperamos colocá-la para adoção”, comentou.

Já está aberta a arrecadação de verbas para cobrir os custos do tratamento. As pessoas interessadas em fazer doações devem procurar a clínica, na Rua Doutor José Procópio Teixeira, 4/101, no Bairro Bom Pastor.

Maus-tratos

A PM foi acionada no fim da tarde de quarta na Avenida JK, perto do Bairro Barreira do Triunfo. De acordo com relato de testemunhas, um homem de 44 anos estaria lançando explosivos chamados estalinhos e percebeu que a cadela estava abocanhando os objetos. Então, este homem teria pegado uma bomba conhecida como “cabeça de nego”, explosivo de maior capacidade, e jogado. Quando o animal abocanhou, o artefato explodiu.

Segundo o Boletim de Ocorrência (BO), o animal teve ferimentos internos na boca e foi socorrido por testemunhas, com autorização da PM, para uma clínica veterinária no Bairro Bom Pastor.

Os policiais fizeram rastreamento, localizaram o suspeito e o levaram para a Delegacia de Plantão. Segundo informação da assessoria da Polícia Civil, como não havia testemunha para comprovar a lesão no animal porque dependia de laudo, o suspeito foi ouvido e liberado. O delegado de plantão Hamilton Joaquim da Silva assumiu o caso. Segundo a assessoria da Polícia Civil, o suspeito pode responder pelo crime de maus-tratos previsto na Lei 9.605, com pena de três meses a um ano de detenção e multa.

Desde dezembro, foi instalado em Juiz de Fora o primeiro Núcleo de Atendimento às Ocorrências de Maus-tratos a Animais, que funciona no Bairro Santa Terezinha, anexo à Delegacia Regional. Denúncias também podem ser feitas encaminhadas pelo telefone 181.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.