MG: Cães são chicoteados por tutor, mas agressor é liberado e animais vão para casa

MG: Cães são chicoteados por tutor, mas agressor é liberado e animais vão para casa

Vizinhos gravaram espancamento, mas polícia considerou o caso um “ato isolado”.

MG caes chicoteados

Um caso de supostos maus-tratos contra três cachorros revoltou os moradores de Poços de Caldas, no sul do Estado. Através de um vídeo divulgado por uma testemunha, é possível ver o momento em que o tutor chicoteia os animais em um ataque de fúria no quintal de casa. Ele chegou a ser detido após a denúncia, mas foi ouvido e liberado. Em seguida, a Polícia Civil permitiu que os cães continuassem sob a guarda do agressor.

A fundadora e ex-diretora da Aapa (Associação de Amigos e Protetores dos Animais) da cidade, Cristiane Prado, conta que já vinha recebendo informações de que os animais eram agredidos há quase um ano. No início deste mês, um morador conseguiu flagrar o momento em que os bichos são arrastados para o quintal e chicoteados. As cenas fortes assustaram Cristiane. Ela e a atual presidente da Aapa foram até o local e acionaram a Polícia Militar, que conduziu o homem e a mulher dele para a delegacia.

Cristiane relata que chegou a colocar os três cachorros dentro de seu proprio carro, mas foi surpreendida pela decisão da polícia, que liberou o suspeito e os animais.

— Eu não tive coragem de abrir a porta do carro para tirar os cachorros, tiveram que fazer isso por mim. É muito frustrante porque a gente perde um dia inteiro de trabalho e eles saíram de lá rindo da gente.

Agora, a Aapa pretende protocolar um pedido no Juizado Especial para que a companheira do suspeito também seja considerada autora dos supostos maus-tratos. Desta forma, a instituição visa fazer com que os animais sejam retirados da casa e fiquem sob a custódia da organização até que o caso seja resolvido.

— A gente depende da Justiça, isso é muito difícil. Sabemos que não é a primeira vez que acontece [a agressão], mas agora temos que aguardar.

“Caso isolado”

A Polícia Civil alegou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o fato foi considerado um “caso isolado”. Ainda conforme a corporação, não existem outros fatores que comprovem que os animais são maltratados, já que estariam alimentados e em boas condições de saúde. Diante dos fatos, o tutor dos cães assinou um TC (Termo Circunstanciado de Ocorrência) e o fato foi encaminhado para o Juizado Especial Criminal, que deverá decidir se os bichos continuam ou não no local.

O tutor dos animais teria alegado que ficou “muito nervoso”  com os cachorros, que teriam comido as galinhas que ficam no quintal e, por isso, tomou “uma atitude impensada”.

Fonte: R7

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.