Mico-leão-dourado e 50 pássaros que viviam em cativeiro são devolvidos à natureza em Cabo Frio, no RJ

Mico-leão-dourado e 50 pássaros que viviam em cativeiro são devolvidos à natureza em Cabo Frio, no RJ
Mais de 50 animais silvestres que viviam em cativeiro são devolvidos à natureza em Cabo Frio, no RJ — Foto: Divulgação/Prefeitura de Cabo Frio

Um mico-leão-dourado e 50 pássaros que vivem em cativeiro foram devolvidos à natureza nesta segunda-feira (17) por agentes da secretaria de Meio Ambiente e da coordenaria de Assuntos Fundiários de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio.

Os animais foram resgatados no último sábado (16), em uma operação conjunta com a Polícia Militar que desmontou uma quadrilha de traficantes de animais silvestres.

De acordo com a Prefeitura, todos os animais soltos nesta segunda foram submetidos à exames clínicos que constataram bom estado de saúde.

De acordo com a secretaria de Meio Ambiente, os locais de soltura não foram divulgados para que os animais sigam sendo preservados, “mas são biomas capazes de proporcionar rápida readaptação dos animais”, afirmou a pasta. 

A operação

Animas silvestres seriam vendidos em feira na Baixada Fluminense, mas foram resgatados em operação no último sábado (16) — Foto: Divulgação/Prefeitura de Cabo Frio

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Mario Flavio Moreira, a ação de captura dos animais em cativeiro é resultado de um trabalho de investigação que durou cerca de seis meses e foi realizado pelos agentes municipais e estaduais que encontraram micos mortos e armadilhas para pássaros, durante as operações rotineiras de fiscalização.

“Podemos afirmar que essa operação foi a mais importante já realizada pela secretaria do Meio Ambiente em Cabo Frio. Do resgate dos animais à prisão dos responsáveis, tudo foi realizado com perfeição e serve de exemplo para que as pessoas não façam tráfico de animais silvestres pois, em Cabo Frio, há uma fiscalização atenta e atuante”, afirmou o secretário.

Durante a operação, os fiscais do município e a Polícia Militar foram até a casa dos denunciados.
No local, o dono do imóvel confessou que levaria os animais para serem vendidos na feira em Duque de Caxias e foi preso.

Um dos micos, que já estava bastante debilitado, morreu.

A polícia e os agentes municipais investigam, ainda, o paradeiro de mais uma pessoa que capturava os animais, inclusive dentro da APA do Rio São João e no Parque Natural Municipal do Mico-Leão-Dourado.

“Podemos afirmar com tranquilidade que esse crime de captura e tráfico de animais silvestres está intrinsecamente ligado à questão das invasões de áreas de proteção ambiental. A pessoa que capturava os animais e que, agora, está presa, construiu uma casa dentro da área do Parque Natural Municipal do Mico-Leão-Dourado, nossos agentes fundiários demoliram a casa e ele voltou a construir. Inclusive, no momento da detenção ele estava nessa casa”, afirmou o coordenador de Assuntos Fundiários, Ricardo Sampaio.

A ação contou com o apoio dos policiais militares do DPO de Tamoios.

A população pode denunciar crimes contra o meio ambiente pelo e-mail [email protected] e crimes de invasão de áreas de proteção ambiental ou públicas pelo e-mail [email protected]

 Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.