Milhares de galinhas são sacrificadas por causa da crise dos ovos contaminados

Milhares de galinhas são sacrificadas por causa da crise dos ovos contaminados
Uma granja avícola de Onstwedde (Holanda) (Patrick Huisman / EFE)

Pelo menos sete países, França, Reino Unido, Holanda, Bélgica, Alemanha, Suíça e Suécia, já foram afetados pela crise dos ovos contaminados por fipronil, uma molécula utilizada para acabar com o piolhinho ou ácaro vermelho das galinhas.

O fipronil em grandes quantidades pode tornar-se tóxico para os seres humanos. A Organização Mundial da Saúde proíbe sua utilização em animais que sejam para consumo humano.

Na Holanda 180 granjas já foram bloqueadas após a descoberta de que os níveis de fipronil superavam os limites autorizados pelo regulamento Europeu. Na Bélgica, acredita-se que ao menos 57 empresas poderiam estar contaminadas, o que representa um quarto das 210 granjas com galinhas em todo o país.

Nos países afetados já foram recolhidos e destruídos milhões de ovos que provinham da Holanda, país que conta com quase 50 milhões de galinhas poedeiras.

Holanda e Bélgica estão sob investigação, com acusações criminais, sobre o uso clandestino de fipronil.

Cerca de 300 mil galinhas contaminadas foram sacrificadas e outros milhões poderão sofrer o mesmo destino se os criadores acreditarem não ser rentável mantê-las vivas por não haver saída para os ovos. Diferentes organizações em defesa dos direitos dos animais planejam promover manifestações contra o sacrifício das galinhas.

Vários trabalhadores descartam os ovos contaminados em una granja avícola de Onstwedde (Holanda) (Patrick Huisman / EFE)
Vários trabalhadores descartam os ovos contaminados em una granja avícola de Onstwedde (Holanda) (Patrick Huisman / EFE)

Tradução de Flavia Luchetti

Fonte: Noticieros Televisa


Nota do Olhar Animal: Mais uma matança de animais para a conta dos consumidores de ovos. Não será surpresa triturarem as galinhas para que sirvam de ração para outros animais, como cães e gatos, que aliás também é o destino comum de galinhas poedeiras ao final de sua fase produtiva.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.