Cão foi morto no fim de novembro em supermercado paulista Foto: Facebook

Ministério Público se reúne com supermercado para acordo sobre morte de cadela em Osasco, SP

O Ministério Público de São Paulo tem uma reunião marcada, no próximo dia 14, com representantes do supermercado Carrefour, para negociar um acordo dentro do inquérito civil que apura a agressão e os maus-tratos cometidos por um segurança da rede de supermercados Carrefour contra a cadela Manchinha. O caso ocorreu em 28 de novembro do ano passado em Osasco, Região Metropolitana de São Paulo. A cadelinha acabou morrendo e o caso gerou comoção nas redes sociais. Outras reuniões já ocorreram entre a Promotoria e a empresa, mas ainda não foi fechado um acordo.

Além do inquérito civil, foi aberta uma investigação criminal na Polícia Civil, que terminou por indiciar, em 18 de dezembro do ano passado, o segurança — que não teve o nome divulgado — como responsável pela morte de Manchinha. À polícia, o acusado admitiu que bateu no animal com uma barra de metal, mas negou que tivesse a intenção de feri-lo ou de matá-lo.

As penas para crimes de agressão e maus-tratos a animais preveem detenção de até um ano, mas frequentemente são substituídas por prestação de serviços comunitários ou pagamentos de cestas básicas.

Em nota enviada após o caso, o Carrefour afirmou que “repudia qualquer tipo de maus-tratos contra animais” e que está colaborando com as autoridades. O supermercado também informou que recebeu sugestões de ONGs ligadas à causa animal para construir uma nova política para a área.

Por Giampaolo Morgado Braga

Fonte: Extra

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.