Monterosso, cordeiro com as pernas amarradas na igreja: aumenta a polêmica de associações de direitos dos animais

Monterosso, cordeiro com as pernas amarradas na igreja: aumenta a polêmica de associações de direitos dos animais

A renovação dos memoriais religiosos que marcam a Semana Santa nem sempre é bem-vinda. Algumas associações de direitos dos animais que operam na área de Vibonese, especificamente Oipa, Lav, Argo e Balzoo, discutiram sobre o que aconteceu em Monterosso Calabro [Itália] por ocasião da celebração da Quinta-feira Santa, quando, segundo a tradição, foi trazido um cordeiro com as pernas amarradas para a Igreja. As associações manifestaram o seu descontentamento através de uma carta dirigida ao pároco, Dom Ângelo Faccioloe ao prefeito, Antonio Giacomo Lampasi.

“Pedimos que não ocorram mais manifestações questionáveis ​​envolvendo, apesar de tudo, animais – trovejaram os escritores -. Mesmo apenas expondo um animal, como neste caso, submetendo-o a condições de estresse ou medo “por crueldade e sem necessidade” isso é considerado maus-tratos. As motivações das tradições folclóricas ou religiosas não são suficientes para justificar tais práticas, que podem violar a lei e suscitar sentimentos de desaprovação na maioria da opinião pública”.

Em Monterosso a maioria dos cidadãos concorda em relatar que o cordeiro não sofreu maus-tratos: foi trazido com cuidado para a igreja, sem nenhum estresse para o animal. Mas não faltam aqueles que formulam opiniões contrárias e, em concertação com as associações de defesa dos direitos dos animais, sublinham a necessidade de abolir algumas tradições potencialmente prejudiciais aos animais.

Por Felipe Costa

Fonte: Porteira do Mato

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.