Montes Claros (MG) terá centro municipal de castração de cães e gatos

Montes Claros (MG) terá centro municipal de castração de cães e gatos
Montes Claros tem cerca de 7 mil cães soltos nas ruas (foto: Fabio Marçal/Divulgação)

A Prefeitura de Montes Claros, no norte de Minas, anunciou uma obra que visa amenizar um antigo problema da cidade: a grande quantidade de cães abandonados nas ruas. Será construído o Centro Municipal de Castração, que vai realizar, gratuitamente, a esterilização de cães e gatos.

De acordo com a administração municipal, a unidade será erguida na sede do Centro do Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal de Saúde e “permitirá a realização da cirurgia em local apropriado e conforme os padrões sanitários adequados”.

A obra está orçada em R$ 934 mil. A sessão pública do processo de licitação está marcada para o dia 19 de abril. A empresa vencedora da concorrência publica terá o prazo de nove meses para a concluir a construção, após a emissão da ordem de serviço.

O secretário municipal de Meio Ambiente de Montes Claros, vereador Soter Magno, que desenvolve campanhas para a esterilização dos animais, afirma que no município existem cerca de 7 mil cães abandonados pelos seus donos nas ruas.

Ele salienta que a superpopulação canina provoca sérios problemas de saúde, com o risco de proliferação da leishmaniose visceral (calazar).

A doença é causada pelo protozoário Leishmania chagasi, que tem como um do seus hospedeiros o cachorro (junto com equídeos, roedores, raposas e outros animais silvestres), sendo transmitido ao homem pelo mosquito-palha ou birigui (Lutzomyia longipalpis).

“O controle da população canina por métodos como a castração é muito importante. Existem dados científicos que indicam que uma cadela de grande porte não castrada, em 10 anos, pode gerar até 80 mil descendentes”, afirma Soter.

Segundo ele, o Centro de Municipal de Castração será construído com verba de emenda parlamentar, no valor de R$ 700 mil, conseguida pelo deputado federal Marcelo Freitas (União Brasil), a seu pedido, complementada com recursos próprios do município.

O médico veterinário Carlos Tavares afirma que a informação do vereador/secretário municipal tem procedência científica e também enaltece a necessidade do controle da população canina solta nas ruas.

“A castração também é importante para os animais criados nos municípios. O procedimento pode evitar que as cadelas tenham piometra (infecção no útero)”, observa Tavares.

O problema do abandono

A estudante de medicina veterinária e cuidadora de animais Jamille Mayrink lembra que o “controle da natalidade canina” se faz necessária em Montes Claros para amenizar o problema da quantidade dos pets abandonados nas ruas do município.

Ela ressalta que existem pessoas que criam cães de forma “semidomiciliar”, o que contribui para a reprodução descontrolada.

“Ainda há a cultura da pessoa deixar o animal ir na rua dar uma voltinha. Aí, muitas vezes, cadela entra no cio, vai para a rua e engravida”, observa.

Jamille relata que o mais grave nesses casos de aumento populacional é que muitas pessoas acabam abandonando os animais para evitar despesas.

“Existem pessoas que abandonam as mães e os filhotes. Outros, numa situação mais triste, abandonam os filhotes nas ruas”, descreve a estudante de medicina veterinária e cuidadora.

Ela observa ainda que a implantação do serviço municipal de esterilização de cães e gatos vai ajudar famílias de baixa renda que necessitam de castração dos pets, mas não têm como pagar a cirurgia.

Segundo Jamile Mayrink, atualmente, um procedimento cirúrgico para a castração canina em clínicas veterinárias particulares em Montes Claros sai, no mínimo, por R$ 350, e pode custar até R$ 1,5 mil, conforme o peso do animal.

Por Luiz Ribeiro

Fonte: Estado de Minas

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.