Morador assusta com alarme do vizinho e encontra arara-canindé presa na rede de energia em MS

Morador assusta com alarme do vizinho e encontra arara-canindé presa na rede de energia em MS
Arara-canindé ficou presa entre cerca elétrica e rede de energia em MS (Foto: Walmir Caldas/Arquivo Pessoal)

Um morador do bairro Panamá, na região leste de Campo Grande, acordou com uma missão diferenciada nesta quarta-feira (31): salvar uma arara-canindé presa na rede elétrica. O aposentado Walmir Caldas Rodrigues, de 59 anos, disse que assustou com o alarme do vizinho, após 20 minutos do sinal sonoro, quando saiu de casa e viu o que estava acontecendo.

“A arara estava presa na cerca e na rede de energia. Outra sobrevoava ao redor e gritava muito, mas não percebi antes porque sempre tem arara passando por aqui. O que me chamou a atenção mesmo foi o som do alarme. Eu então vi que o vizinho não estava, ele é novo por aqui e peguei uma chave de fenda para desligar o padrão de energia”, disse ao G1 o aposentado.

O próximo passo, segundo Caldas, foi pedir a escada para outro vizinho e pedir socorro. “Eu liguei para o Corpo de Bombeiros e a PMA [Polícia Militar Ambiental]. Mas, antes mesmo da chegada, consegui subir a escada e tirar o animal, desenrolando o pé dela. O casal então foi embora, parece que ela não se machucou muito”, comemorou.

De acordo com a bióloga, professora universitária e presidente do Instituto Arara Azul, Neiva Guedes, mais de 160 ninhos de araras-canindé estão sendo monitorados na cidade. “Nós começamos este trabalho no ano de 2009 e percebemos que o número de ninhos vem crescendo a cada ano. Infelizmente, também tivemos bastante problemas com rede de energia e registramos quase 40 acidentes com rede de energia”, disse.

Para tentar evitar o problema, ainda conforme Guedes, foi feita uma parceria com a concessionária de energia do estado, a Energisa. “A intenção é tomar medidas para evitar possíveis acidentes. O que ocorre, é que diferentes de aves pequenas, a arara é grande e consegue alcançar um fio e outro quando abre as asas. Por isso, a fiação está com proteção em alguns locais e a intenção é ter na cidade inteira”, finalizou.

Em horário comercial, quando alguém flagrar algum acidente, pode ligar no instituto pelo telefone (67) 3222 – 1205. Demais denúncias devem ser feitas na PMA, no número (67) 3357 – 1500.

Por Graziela Rezende

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.