Moradora denuncia tentativa de envenenamento de cachorros no Volta Grande, em Brusque, SC

Moradora denuncia tentativa de envenenamento de cachorros no Volta Grande, em Brusque, SC
Foto: Arquivo pessoal

Uma moradora do bairro Volta Grande, em Brusque, denunciou uma tentativa de envenenamento dos cachorros da família ao jornal O Município. Segundo ela, que não quis ser identificada, na manhã de quinta-feira, 1º, o marido saiu para levar o lixo para fora. No caminho, ele encontrou dentro do cercado deles um ovo de galinha cozido que tinha veneno.

“O cachorro não chegou a comer, porque vimos antes. Estão matando os cachorros que estão dentro dos cercados, com os cachorros soltos na rua não acontece”, relata.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Ainda, a mulher recorda que aconteceu um caso de envenenamento de outro cachorro na vizinhança no último mês. Além de outro cachorro ter sido encontrado morto no bairro ainda nesta sexta-feira, 2.

Ela detalha que nunca recebeu reclamação de vizinhos em relação aos cachorros, que são pequenos. “São duas pinscher que ficam dentro do cercado e são bem sossegadas”, diz.

A moradora também recorda de quando diversos cachorros dela foram mortos na mesma época. “Essa foi a primeira tentativa com elas [pinschers], mas tive 12 cachorros envenenados na minha casa anos atrás. Foi em 2008, depois da enchente, todos morreram envenenados”, continua.

Envenenamentos recentes

Mais recentemente, há dois anos, um pinscher dela também morreu após consumir alimento com cacos de vidro. Contudo, ela não sabe quem poderia ter feito isso, pois ressalta que são poucos vizinhos diretos com a casa, apenas em uma residência na frente.

“Mas a gente acha que são pessoas de fora que fazem isso, porque nos damos muito bem com a vizinhança. Não temos reclamação”, completa.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

“Assassino de animais”

No último domingo, 27, a moradora do bairro Bateas Ludimila Souza de Andrade, de 24 anos, alertou para casos de envenenamento no local, após o cachorrinho da família morrer.

Segundo ela, o Tico não foi o primeiro cachorro da rua a ser envenenado, mas é o primeiro pet da família que foi vítima. “Já presenciamos outros envenenamentos”, aponta.

A família da Ludimila colocou placas que alertam a existência de um “assassino de animais” na rua. Tico não tinha raça definida e além dele a família tem uma pitbull. “Agora estamos com medo”, completa.

No caso dela, a família fez um boletim de ocorrência no site da Delegacia Virtual de Santa Catarina. O delegado da Polícia Civil de Brusque, Egídio Ferrari, orienta que deve ser feito o boletim nesses casos. Caso seja comprovado o envenenamento é tratado como crime de maus-tratos.

Por Luiz Antonello *Colaborou Eliz Haacke

Fonte: O Município

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.