Moradores afirmam ter encontrado bananas recheadas com chumbinho na zona noroeste de Santos, SP

Moradores afirmam ter encontrado bananas recheadas com chumbinho na zona noroeste de Santos, SP
Vizinhos buscam por pistas sobre quem possa ter atirado as frutas nos quintais Foto: Reprodução

Pedaços de banana recheados com chumbinho foram encontrados por moradores nos quintais de duas casas localizadas na Rua Jaime Manhani, na Vila São Jorge, em Santos. A informação foi divulgada em um grupo de WhatsApp e rapidamente se espalhou pelas redes sociais. Eles suspeitam que foi uma tentativa de envenenar os cachorros que moram nas residências.

A imagem foi compartilha com o seguinte texto: “Recebi no WhatsApp de pessoa que mora lá, foi jogado banana com chumbinho em 2 casas na rua Jaime Manhani, então quem mora nas redondezas e tem animais ou crianças redobre a atenção, por mais que joguem durante a noite/madrugada, pode acontecer dos animais comerem ou até mesmo uma criança pequena ir brincar no quintal durante o dia e ingerir”.

O texto diz ainda que as casas possuem câmeras e que os vizinhos buscam por pistas sobre quem possa ter atirado as frutas nos quintais.

O post causou indignação em páginas no Facebook. “Quem dera estampe logo a fuça desse maldito…. Povo sem coração… Deus viu heim, seu monstro!!!”, afirmou uma internauta. “Verdade sou de Peruíbe mataram minhas duas cachoras assim”, afirmou outra.

Segundo o artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98), é crime “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”. A pena é de detenção, de três meses a um ano, e multa.

Fonte: Diário do Litoral


Nota do Olhar Animal: É importante que tutores identifiquem um alimento com veneno para evitar que seu animal o consuma e para que posso denunciar o crime às autoridades. O combate a este crime deve se der principalmente com a repressão contra quem vende o veneno. Infelizmente a fiscalização das vigilâncias sanitárias é frouxa e a punição é rara.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.