Moradores de condomínio na Bahia denunciam morte de mais de 15 gatos e suspeitam de envenenamento: ‘Não pode ficar impune’

Moradores de condomínio na Bahia denunciam morte de mais de 15 gatos e suspeitam de envenenamento: ‘Não pode ficar impune’
Moradores de condomínio em Salvador denunciaram a morte de mais de 15 gatos — Foto: Reprodução/TV Bahia

Um grupo de moradores de um condomínio no bairro de São Rafael, em Salvador, denunciou à equipe da TV Bahia que mais de 15 gatos foram mortos no local nos últimos meses. A suspeita dos moradores é de que os animais foram envenenados, pois os gatos sempre passam mal e ficam babando, conforme relatou as testemunhas.

VÍDEO: Crueldade: moradores denunciam mortes de gatos em condomínio de São Marcos

Os moradores relataram ainda que quando há morte de gatos sempe ocorre de forma coletiva. Alguns animais já foram adotados pelos moradores, mas ainda assim outros gatos aparecem ou são abandonados no condomínio.

“A gente sabe que isso não vai parar. A primeira vez [que os gatos foram achados mortos] foram entre 16 a 17 gatos. Isso não pode ficar impune. A pessoa acha que esse é o caminho mais fácil, mas não é. Precisamos procurar outro caminho para resolver o problema”, disse Tatiana Carvalho, uma das moradoras do condomínio.

Os moradores que fizeram a denúncia relataram que também cuidam dos animais, e já chegaram a custear a castração para alguns.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal da Saúde informou que o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realiza o monitoramento dos animais que ficam no condomínio. Disse ainda que os agentes de endemias realizam a vacinação e o encaminhamento dos animais para castração, com o objetivo de evitar procriação indesejada dos animais.

A CCZ salientou também que não faz parte das atribuições do centro a apreensão dos animais, tampouco a investigação dos responsáveis pelo possível envenenamento dos bichos, já que maus-tratos aos animais é crime, passível de punição no âmbito penal.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.