Animal adulto foi abandonado na Estrada Carlos Jobim na semana passada

Morre égua com queimaduras resgatada pelo Canil de Gravataí, RS

Uma égua resgatada pelas equipes do canil municipal de Gravataí, na semana passada, com queimaduras graves especialmente na cabeça e nas patas, não resistiu aos ferimentos e morreu após alguns dias de tratamento intensivo. A diretora do Bem-Estar Animal, Márcia Becker, conta que o animal foi resgatado agonizando na Estrada Antônio Carlos Jobim depois de denúncias terem sido feitas.

“Ela tinha um buraco na cabeça e um olho havia sido arrancado. O corpo foi queimado com um produto semelhante a querosene ou gasolina, pois não conseguimos identificar. Ela foi resistente no início e deixou, de forma pacífica, ser tratada pelos veterinários.” A égua, que aparentava ter 10 anos de idade, foi medicada com antibiótico, antiflamatório, teve as feridas limpas e foi bem alimentada. Visivelmente desnutrida, ela pesava 150 kg, enquanto que um cavalo normal chega aos seus 400 kg. “Infelizmente ela não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu entre o terceiro e quarto dia de tratamento.

Casos de abandonos de animais e maus tratos são frequentes na área e no entorno da Vila Jobim, local que fica bem próximo do Canil Municipal.” Márcia, que fez registro na Polícia Civil, diz que é importante que as pessoas denunciem casos de maus tratos e que percebem os cavalos também como vítimas desse comportamento equivocado. “Não apenas cães e gatos sofrem com isso. Os cavalos também precisam serem vistos. Estamos em pleno século 21, passou da hora de termos transporte feito por animais. As pessoas precisam denunciar absurdos como este.”

Por Fernanda Bassôa

Fonte: Correio do Povo / Foto: Hora da Notícia RS / Marcia Becker

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.