Morte de 500 animais em caçada ‘esportiva’ em Portugal gera revolta nas redes sociais

Morte de 500 animais em caçada ‘esportiva’ em Portugal gera revolta nas redes sociais

Uma montaria que terá decorrido na passada semana, na Quinta da Torre Bela, na Azambuja, está gerar grande revolta nas redes sociais. O abate de centenas de veados e javalis motivou uma reação do PAN que afirma que “matar por regozijo e desporto é desumano”.

Cerca de 540 animais perderam a vida. Entre as espécies estão javalis e veados, segundo revela O Mirante. Segundo o mesmo meio, foram ouvidos tiros durante todo o dia de quinta-feira, 17 de dezembro. A montaria terá juntado 16 caçadores e foi promovida por uma empresa espanhola, que todos os anos promove ações de caça na Península Ibérica.

O PAN utilizou as redes sociais para reagir à “matança” em montaria na Azambuja. “As informações que recebemos apontam para 540 animais abatidos numa montaria realizada na quinta da Torre da Bela, Aveiras de Cima, no concelho de Azambuja. Matar por regozijo e desporto é desumano. O PAN tem defendido uma regulamentação apertada para o sector da caça decorrente dos visíveis impactos negativos para a biodiversidade, proteção e bem-estar animal, mas sistematicamente as nossas propostas têm sido rejeitadas”, pode ler-se na mensagem do partido. O PAN promete investigar o caso e exigir responsabilidades sobre o sucedido.

Nas redes sociais circula uma imagem onde estão dezenas de animais mortos no chão acompanhada da legenda “conseguimos novamente! 540 animais com 16 caçadores em Portugal! Um recorde!”.

Fonte: Correio da Manhã / mantida a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: É uma vergonha. Primeiro, pela matança, que não se justifica sob pretexto algum, muito menos quando ocorre para satisfazer prazeres sádicos e fúteis dos caçadores. Segunda, por conta da preocupação de alguns serem os “impactos na biodiversidade” e não o sofrimento e  morte impostos a cada um dos indivíduos. A visão dos animais como meros objetos de um “jogo ambiental” não se distingue muito da visão dos caçadores.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.