Morte de baleia-jubarte nos EUA pode ter sido causada por humanos, dizem especialistas

Morte de baleia-jubarte nos EUA pode ter sido causada por humanos, dizem especialistas

A morte de uma baleia jubarte que foi encontrada em setembro na costa de Staten Island, em Nova York, pode ter o envolvimento de humanos.

Especialistas em conservação que examinaram a baleia dizem que encontraram evidências de pelo menos dois ferimentos causados ​​por humanos, incluindo pedaços de metal preso em suas entranhas. Uma avaliação final da causa da morte ainda não foi feita.

Em 17 de setembro, uma baleia jubarte macho de quase 12 metros de comprimentos foi encontrada morta nas águas rasas do Parque Great Kills.

Após a descoberta, os funcionários do parque entraram em contato com a Atlantic Marine Conservation Society (AMSEAS), que frequentemente ajuda a investigar as mortes e retirar os grandes animais marinhos que chegam à terra.

Mais tarde, o grupo postou uma atualização em sua página do Facebook, alegando que o exame encontrou dois ferimentos provavelmente causados ​​por humanos.

A baleia supostamente apresentava feridas ao redor da boca e da cabeça, e tinha também um “grande pedaço de entulho de metal alojado em seus intestinos, que causou danos ao trato digestivo”, disse o grupo.

Além disso, o corpo da baleia parecia estar em boas condições, com muitos peixes no estômago, sugerindo que ela havia comido recentemente.

A AMSEAS ainda não formalizou a acusação que culpa os humanos. E é possível que essa morte misteriosa nunca seja resolvida.

“Ainda estamos investigando todos os fatores que podem ter contribuído para a morte do animal e aguardando os resultados. Nem todos os casos resultam em uma causa definitiva de morte”, disse Joanne Biegert, administradora da AMSEAS, ao Gizmodo por e-mail.

“Pode levar várias semanas a meses para finalizar um relatório de necrópsia. AMSEAS postará atualizações nas redes sociais quando esses resultados forem finalizados”, concluiu.

Estima-se que milhares de baleias e golfinhos acabem encalhados em terra no mundo todo a cada ano. Muitos desses encalhes envolvem baleias que morreram de causas naturais e cujos corpos simplesmente chegam à praia depois, mas às vezes as baleias são encontradas vivas e podem ser resgatadas.

Relatos de encalhes vem de milhares de anos. Mas há preocupação de que os humanos tenham piorado o problema, tanto diretamente, por meio do uso de sonares, quanto indiretamente, pelas mudanças climáticas, o que faz com que as baleias fiquem mais propensas ​​a se perderem ou se ferirem.

Tem sido um mês agitado para AMSEAS. Menos de três dias após o encalhe de Staten Island, o grupo foi chamado para atender o caso de mais uma baleia morta, uma baleia-minke de quase 5 metros de comprimento encontrada na costa de Amagansett, também em Nova York.

Essa outra baleia também passou por autópsia e foi transportada para outro local para ser enterrada. A baleia de Staten Island, no entanto, era grande demais para ser movida e foi enterrada no local.

Biegert disse que existem muitos caminhos para as pessoas ajudarem a proteger a vida marinha.
“Monitorar as praias locais e participar de limpezas é uma ótima maneira de observar os arredores, ao mesmo tempo, isso evita que resíduos prejudiciais cheguem ao oceano”, disse ela.

Por Ed Cara

Fonte: Gizmodo Brasil

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.