Morte de cão policial em aeroporto causa indignação na Nova Zelândia

Morte de cão policial em aeroporto causa indignação na Nova Zelândia
Cão Grizz tinha dez meses e ajuda a polícia a encontrar drogas e bombas em aeroportos. (Foto: Facebook / Reprodução)

A morte de um cão farejador, usado pela polícia para detectar drogas e em bombas, causou indignação, na Nova Zelândia. Nesta sexta-feira, Grizz, de 10 meses, escapou e invadiu a pistas de voo do aeroporto de Auckland, maior cidade do país, onde acompanhava agentes de segurança. A fuga atrasou pousos e decolagens, causando tumulto no local. Como as tentativas de capturar o animal falharam, ele acabou morto.

De acordo com informações do jornal britânico “The Guardian”, funcionários do aeroporto tentaram pegar o cão fugido por cerca de três horas – tempo em que o local ficou sem operar voos – antes de a polícia receber a ordem de executá-lo.

Segundo Lisa Mulitano, porta-voz do aeroporto de Auckland, funcionários “fizeram tudo que puderam” para recapturar o animal e ficaram “muito chateados” com a morte.

Enquanto agentes da segurança aeroportuária prometeram investigar o acidente, a morte do cachorro virou assunto na internet. Por redes sociais, usuários criticaram a ação dos funcionários do aeroporto.

Organizações de defesa dos direitos dos animais, como a PETA, a maior do mundo, também se manifestaram. “Você não merecia morrer, Grizz. Vergonha do aeroporto de Auckland”, postou a ONG em uma rede social.

Um abaixo-assinado promovido pela internet também está buscando pressionar as autoridades locais a punir os responsáveis pela morte do cachorro. Até o momento, a página já recebeu mais de mil assinaturas.

Fonte: Extra

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.