Morte de girafa em zoológico mexicano será investigada

Morte de girafa em zoológico mexicano será investigada
Morte de girafa em Animaya será investigada

Perante a repentina morte de “La Mama”, uma girafa fêmea de 24 anos de idade, a Associação dos Direitos dos Animais de Yucatán (ADAY), no México, realizará uma investigação sobre a possível negligência cometida pelos funcionários da Prefeitura de Mérida contra a girafa, que estava prenha, informou Rosario Sosa Parra, presidente da Associação.

Parra também lamentou que os zoológicos de El Centenário e de Animaya possuam somente pessoal improvisado para atender os animais silvestres. “Em Yucatán há especialistas em fauna silvestre, pessoas preparadas, mas não são contratadas para trabalhar nesses zoológicos, onde predomina o nepotismo, o favoritismo e o amiguismo”, destacou.

A presidente assegurou que “os funcionários atuais aprendem no chute, por tentativa e erro, já que não possuem preparação para trabalhar nestas áreas”.

A morte da girafa pode ter ocorrido por falta de conhecimento, e não por negligência, e para descobrir a verdadeira causa é necessário efetuar uma investigação.

Parra mencionou que irá ao Parque Zoológico do Bicentenário, mais conhecido como Animaya, para pedir informações sobre a morte da girafa, incidente que se tornou viral nas redes sociais e, inclusive, causou um conflito entre líderes de diversos partidos políticos.

Rosario ressaltou a importância de dar as melhores condições de vida aos animais silvestres em cativeiro.

No dia 13 de janeiro, o diretor de Serviços Públicos Municipais, Luis Jorge Montalvo Duarte, informou o falecimento de La Mama, cuja causa da morte foi uma obstrução no intestino que causou falência em seus pulmões e parada cardíaca.

Ele declarou que a obstrução tinha sido detectada quatro dias antes.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Tribuna Campeche

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.