Morte de golfinho em Laos deixa apenas 5 de sua espécie

Morte de golfinho em Laos deixa apenas 5 de sua espécie

Por Christina M. Russo / Tradução de Marli Vaz de Lima

Laos golfinhoextincao1

A morte recente de um dos seis golfinhos-do-irrawaddy (ou golfinho-do-irauádi, um cetáceo encontrado em estuários próximos à costa do Sudeste asiático) remanescentes no Rio Mekong, em Laos, sinaliza a situação desesperadora para este animal já criticamente ameaçado.

Aldeões do Camboja descobriram a carcaça de um golfinho fêmea em 1º de abril, de acordo com reportagens em Phnom Penh. Ela era considerada um dos golfinhos mais velhos e maiores da região – uma ‘piscina’ num rio transfronteiriço, chamado Wang Paa Khaa, que atravessa Laos e Camboja; estima-se que haja 85 golfinhos remanescentes em todo o rio Mekong, diz WWF, dos quais o Camboja é o lar da grande maioria.

Presume-se que a golfinho tenha morrido de causas naturais, baseado em exames realizados em seu corpo, mas sua morte é uma triste confirmação de que os humanos falharam em proteger sua espécie.

” Este é um momento muito triste para essa população cada vez menor de golfinhos,” disse Thomas Gray, gerente do Programa de Espécies do WWF Greater Mekong, em um comunicado da WWF. ” Existem hoje apenas cinco golfinhos no Laos e isso é uma advertência de que a espécie está enfrentando o grave risco de extinção no país, e também em todo o Rio Mekong.”

Laos golfinhoextincao2

O golfinho-do-irrawaddy – também chamado de “o rosto sorridente do Mekong” – tem sido exterminado principalmente pela indústria da pesca. A luta pela sobrevivência do golfinho sempre foi intensa. “Historicamente, acredita-se que cerca de 40-50 golfinhos tenham utilizado o estuário transfronteiriço, com os números caindo para cerca de 25 em meados dos anos 90”, diz WWF em seu comunicado.

As redes de emalhar – redes verticais deixadas na água por longos períodos de tempo por pescadores locais – têm sido a ameaça mais recente e grave aos golfinhos; as redes se emaranham neles e os matam lentamente. Em 2012, Laos criou uma suposta zona de proteção para os golfinhos de 110 milhas, que proibiu o uso de redes verticais, mas a proibição não tem sido consistentemente reforçada.

E para os poucos golfinhos restantes, o que poderia selar certamente o seu destino é a construção de uma nova barragem maciça na área, cita WWF. A Hidrelétrica proposta ‘Don Sahong‘ fica logo acima do estuário do rio e o explosivo usado para escavar as rochas “tem o potencial de matar ou prejudicar seriamente a audição sensível dos golfinhos nas proximidades”, diz WWF.

Em uma trágica ironia, a cada ano os golfinhos supostamente trazem cerca de 30.000 turistas – reunindo-os rio abaixo para terem um vislumbre deste animal prestes a ser extinto.

Esclarecimento: Restam apenas 5 golfinhos deste tipo no Rio Mekong no Laos, e não no total da espécie, conforme alguns leitores entenderam a partir do título original. A manchete foi atualizada.

Esclarecimento: Há apenas 5 golfinhos do Rio Mekong na população de Laos, não são os restantes en todo o planeta, como alguns leitores entenderiam a partir do título original (Dolphin’s Death Leaves Only 5 Of Her Kind on the planet).

Fonte: The Dodo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.