Morte de Totty expõe problema do transporte de animais em ônibus

Morte de Totty expõe problema do transporte de animais em ônibus
Foto: Internet/Reprodução

Um boletim de ocorrência é a esperança dos tutores de Totty para que a morte do buldogue francês, com apenas doze meses de vida, não fique sem punição. O cão ficou conhecido nas redes sociais no domingo (23) por ter perdido a vida no bagageiro de um ônibus que fazia o trajeto de 430 quilômetros de Sousa para João Pessoa. Os tutores de Totty teriam pedido para que ele fosse colocado na parte de cima do veículo, o que não foi permitido.

“O caso de Totty é mais um triste episódio sobre a negligência com os animais e a falta de informação sobre a legislação das empresas. Sendo um animal de pequeno porte, a legislação federal dá aos tutores alguns direitos, como ser transportado junto ao tutor em transportes interestaduais e estaduais, desde que seja em uma caixa própria e que tenha o cartão de vacinação”, explicou Charlene Dantas, participante da ONG Adota João Pessoa.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o dono mostra o cachorro já sem vida, mesmo respeitando as exigências da empresa sobre o transporte de animais. Em nota, a Guanabara informou que em 26 anos nunca havia registrado nenhuma morte de animais em seus ônibus, mesmo transportando animais domésticos diariamente, tanto no interior do veículo quanto no bagageiro. A família que trouxe o animal de estimação registrou o caso na Central de Polícia, localizada no bairro do Geisel.

Fonte: OP9

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.