Motorista atropela cão no Coophatrabalho, em Campo Grande (MS), e foge sem prestar socorro

Motorista atropela cão no Coophatrabalho, em Campo Grande (MS), e foge sem prestar socorro
Cachorro andava tranquilamente na rua (Foto: Reprodução, Fala Povo)

Câmera de segurança flagrou o momento em que um carro atropelou um cachorro, na manhã desta segunda-feira (17), no Bairro Coophatrabalho, em Campo Grande, e chamou a atenção de moradores da região por nem ter parar para tentar ver se o popular ‘doguinho caramelo’ estava bem.

O incidente aconteceu por volta de 6h30 e foi flagrado por uma câmera de segurança próximo ao cruzamento com a Rua Pequi. O animal andava tranquilamente na rua que não estava movimentada, quando some imagem.

Um carro preto então desce a via e o ‘caramelo’, em disparada, acaba entrando na frente do veículo, que acerta em cheio o animal. O cachorro chega a ser ‘levado’ pelo para-choque, mas aparece correndo segundos depois, em direção a outra rua.

Entretanto, o que chamou a atenção de moradores é que o motorista sequer parou para tentar ver se o animal estava bem, após o atropelamento. Apesar da legislação não cobrir casos de omissão de socorro animal, o atropelamento pode se configurar como maus-tratos.

Proposta

O Projeto de Lei 172/23 fixa a obrigação de prestar socorro a animais atropelados, independentemente de envolvimento no acidente, bem como de comunicar o caso as autoridades. Quem descumprir a medida estará sujeito à multa.

O texto, em análise na Câmara dos Deputados, faz alterações no Código de Trânsito Brasileiro. Os autores, deputado Delegado Matheus Laiola (União-PR) e o deputado licenciado Delegado Bruno Lima (SP), justificam que “o dever de informar atropelamentos em vias públicas se revela essencial na missão de proteger os animais”.

Pela proposta, o condutor que transportar o animal em seu veículo particular ficará isento de multas ao transpor semáforos e radares de velocidade. Ainda pelo texto, nos casos de atropelamento doloso, quando há intenção, o condutor é obrigado a arcar com todos os custos relativos ao tratamento veterinário do animal até sua total recuperação.

Confira o vídeo:

Por Fábio Oruê

Fonte: Midiamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.