Movimento anti-touradas fecha simbolicamente a Assembleia Legislativa do DF, no México

Movimento anti-touradas fecha simbolicamente a Assembleia Legislativa do DF, no México

Tradução de Adriana Shinoda Marques

MEXICO Protesta antitaurina ALDF1

Ativistas pelos direitos animais fecharam na terça-feira (14), de forma simbólica, a Assembleia Legislativa do Distrito Federal, em um protesto para exigir que seja proibida a tourada na capital mexicana.

Dezenas de manifestantes fixaram cartazes que diziam “tortura não é arte” e exigiram que se discuta e que seja submetida para votação um ditame que ficou suspenso desde 2012, depois de ser aprovado por uma comissão legislativa municipal.

“O problema é que há pessoas muito poderosas que querem conservar a Fiesta Brava. A iniciativa para proibir as touradas é de três anos atrás”, afirma Laura Hernández, uma das porta-vozes do protesto, encabeçada pelos grupos Sí! Esperanza Animal e Basta de Sangre.

Hernández questionou que os parlamentares aprovaram em 2014 uma lei que proibiu o uso de animais em circos, mas deixaram de lado a abolição das touradas.

A Plaza de Toros da Cidade do México tem capacidade para mais de 41 mil expectadores e é considerada a maior do mundo, muitos políticos e empresários, assim como celebridades, são aficionados pela tauromaquia, como foram a seu tempo lendas como a atriz María Félix (1914-2002) e o compositor Agustín Lara (1897-1970).

Em 2013, Sonora, no noroeste do México, se converteu no primeiro estado do México a proibir as touradas, e logo depois foram vetadas em Guerrero e em alguns municípios do país.

Fonte: EMEEQUIS

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.