Fotos: Arquivo EL UNIVERSAL

Movimento mexicano propõe isentar de impostos os grupos que protegem os animais

O grupo parlamentar do Movimento Cidadão (MC) propôs reformar a Lei de Imposto sobre a Renda (ISR) na seção de doações dedutíveis para que as sociedades ou associações civis constituídas sem fins lucrativos, que tenham por objetivo o resgate, cuidado, reabilitação e colocação de animais em situação de vulnerabilidade, não sejam contribuintes desse imposto.

A deputada Verónica Delgadillo García destacou que em México existem 18 milhões de cães, dos quais 30% tem tutores e o resto, 70%, moram na rua pelo abandono de seus antigos tutores.

Perante esta situação, o grande trabalho que realizam as pessoas dedicadas ao bem-estar animal se sustenta na delicada situação em que se encontram os direitos dos animais, já que continuamente é possível identificar casos de maltrato e abandono.

“É alarmante a grande quantidade de animais que terminam na rua pela irresponsabilidade de seus tutores”, afirmou.

Verónica Delgadillo garantiu que a reforma tem a finalidade de melhorar as condições nas quais as associações civis animalistas desempenham, propondo que sejam incluídas dentro da lista de instituições autorizadas a receber doações dedutíveis e que não sejam suscetíveis ao ISR.

A quantidade de animais que vivem nas ruas se tornou impressionante, não somente pelo número, mas pelas implicações na salubridade, o que representa um problema.

Por Suzzete Ancántara / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: El Universal

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.