BA teixeiradefreitas cao tiro

MP denuncia PM que matou cão por tentativa de homicídio a mulher

Informação é do promotor do caso, Gilberto Ribeiro de Campos. Crime ocorreu em junho de 2015, em Teixeira de Freitas, no sul do estado.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) apresentou denúncia à Justiça contra o tenente da Polícia Militar que matou a tiros um cachorro que fez xixi no gramado da casa dele, em um condomínio da cidade de Teixeira de Freitas, extremo sul da Bahia, em 13 de junho de 2015. A informação é do promotor do caso, Gilberto Ribeiro de Campos, que conversou com o G1 nesta terça-feira (3).

Conforme Campos, a denúncia foi oferecida à Justiça no dia 8 de janeiro. O promotor explicou que o tenente foi denunciado por tentativa de homicídio à tutora do cachorro, que estava próxima ao cão quando o PM efetuou os disparos, e não pela morte do animal, que se encaixa e processo de crime ambiental.

“A Bruna [do tutora do cachorro] disse que chegou a sentir o calor das balas próximo as pernas dela. Ele [o policial] poderia não ter a intenção de produzir o resultado, mas quando ele atirou na direção dela ele assumiu o risco de atingi-la. Eu entendi que deveria ser lançada a tentativa de homicídio, portanto a ofensa contra o ser humano. Se eu também quisesse denunciar sobre o animal teria que encaminhar outro processo para outra promotoria sobre um crime contra o fauna”, explicou Campos.

O G1 entrou em contato com a tutora do cachorro nesta terça-feira (3), mas não obteve retorno.

No dia 15 de março, o tenente Wilson Pedro dos Santos Júnior chegou a prestar depoimento à Corregedoria da Polícia Militar, em Salvador. O conteúdo das declarações prestadas pelo policial militar Wilson Dias não foram divulgados pela comissão que apura o procedimento aberto contra ele. Ainda de acordo com informações da Polícia Militar, as penalidades previstas em lei aos militares da PM-BA são advertência, detenção e demissão, conforme a análise objetiva da comissão processante que dará subsídio à decisão da autoridade competente.

O policial foi afastado do serviço após a ocorrência, mas não há detalhes se permanece sem atuar na corporação. O G1 procurou a PM para comentar o caso, que ficou de se posicionar ainda nesta terça-feira. Até o fechamento desta reportagem, não houve retorno.

Caso

Câmeras de segurança registraram o momento em que o cachorro foi atingido, em junho de 2015. [ATENÇÃO: o vídeo ao lado contém IMAGENS FORTES]

De acordo com a polícia, o caso ocorreu quando uma mulher passeava com dois cachorros por um condomínio. O PM investigado pelo crime morava no mesmo local. Ainda segundo a polícia, o cão teria feito xixi no gramado da residência do policial e, ao perceber, o PM foi atrás da mulher.

O policial se aproximou da vizinha e disparou contra os dois cachorros. A mulher ainda conseguiu carregar um deles e correr, mas o outro foi atingido pelos disparos. Já baleado, o cão correu em direção ao PM e ele atirou mais vezes no animal, que morreu no local.

Com medo de sofrer retaliações, a tutora do cachorro morto, a advogada tributarista Bruna Holtz, e o marido dela, o fisioterapeuta Bruno Medeiros, abandonaram a casa onde moravam, no condomínio onde ocorreu o caso.

Um PM colega do policial que atirou no cachorro informou, à época do crime, que o policial ficou abalado com a situação. Ainda segundo o colega, o PM relatou que estava sendo incomodado pela vizinha, que passava com frequência na porta da casa dele com os cachorros e pirraçava o policial com a situação. Desde o ocorrido, o tentente preferiu não conversar com a imprensa sobre o caso.

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.