Secretaria Estadual do Meio Ambiente autorizou o abate de 40 capivaras em condomínio de Itatiba — Foto: Reprodução/TV TEM

MP nega representações de ambientalistas contra abate de 40 capivaras em condomínio de Itatiba, SP

O Ministério Público negou as representações de ambientalistas que questionam a Secretaria Estadual do Meio Ambiente por autorizar o abate de 40 capivaras em um condomínio de Itatiba (SP).

De acordo com o síndico do condomínio, José Augusto da Silva, 30 animais já foram sacrificados até esta quarta-feira (19).

O abate está sendo realizado por uma empresa especializada neste tipo de serviço através de armadilhas com pedaços de cana-de-açúcar.

Em janeiro do ano passado, uma pessoa morreu no local por febre maculosa, doença transmitida pelo carrapato-estrela, que tem como hospedeira a capivara. Desde então, para evitar que mais pessoas sejam infectadas, foram colocadas placas alertando sobre o risco da doença.

Capivaras são atraídas em armadilha para abate em condomínio de Itatiba — Foto: Divulgação
Capivaras são atraídas em armadilha para abate em condomínio de Itatiba — Foto: Divulgação

Segundo José Augusto, autorizações para eutanásia de animais costumam sair em uma média de dois anos, mas a Secretaria de Meio Ambiente antecipou a determinação para o condomínio por conta da morte registrada.

“Não existe outra opção legal. A área de risco virou área de transmissão, daí foi determinado para a gente que não poderia migrar os animais para outro lugar e não seria permitido fazer a castração. A determinação foi o abate total da população de capivaras”, explica.

O assunto divide opiniões entre especialistas e vizinhos. Por isso, o síndico se reuniu com alguns moradores contrários ao abate nesta manhã para esclarecer alguns pontos da situação e pedir que fossem atrás de outras opções legais.

Como a decisão virou polêmica na cidade, órgãos de proteção animal recorreram ao Ministério Público, que disse ter notificado a Secretaria de Meio Ambiente. Já a pasta garante que não recebeu nenhuma determinação.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Lamentavelmente o assunto parece estar virando uma questão política e não técnica, muito menos ética. E assim vai prevalecendo a incompetência, a ignorância e a truculência contra as vulneráveis capivaras.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.