MP pede investigação sobre atropelamento de cachorro dentro da Universidade Católica Dom Bosco, em Campo Grande, MS

MP pede investigação sobre atropelamento de cachorro dentro da Universidade Católica Dom Bosco, em Campo Grande, MS

A promotora Luz Marina Borges Marcial Pinheiro, da 26ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, pediu à Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista) a abertura de uma investigação para tentar identificar o motorista  que atropelou um cachorro, dentro da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), em Campo Grande.

 

A promotora Luz Marina Borges Marcial Pinheiro, da 26ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, pediu à Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista) a abertura de uma investigação para tentar identificar o motorista  que atropelou um cachorro, dentro da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), em Campo Grande.

O caso veio à tona no dia 1º deste mês, depois que alunos da universidade, supostamente, tiveram atendimento ao animal negado na clínica escola da instituição. No pedido, Luz Marina justificou que a apuração dos fatos é crucial para constatar possível crime de maus-tratos, caso seja constatado que o animal foi atropelado de propósito.

A promotora também acionou o CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) para apurar eventual omissão de socorro dos funcionários da clínica escola da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), após o atropelamento do animal.

O despacho da 26ª promotoria é uma resposta à denúncia protocolada pelo advogado da causa animal, Pablo Chaves, sobre a suposta negligência do hospital veterinário da UCDB diante do atropelamento do cachorro.

O caso – De acordo com a organização Instituto Guarda Animal, o cachorro foi atropelado dentro na universidade na noite de ontem (31). Os alunos garantem que levaram o animal até a clínica, mas ninguém do hospital fez o atendimento.  Em vídeo encaminhado ao Campo Grande News, é possível ver o cachorro em um dos corredores da UCDB, com a respiração ofegante e babando muito.

Diante da negativa no atendimento os alunos levaram o animal para um clínica veterinária da Capital. Lá, ele foi medicado, foram solicitados exames, contudo, o cachorro morreu durante uma ultrassonografia.

A UCDB – Em nota, a assessoria da universidade admitiu que por volta das 16h, uma pessoa pediu informações na clínica. Informou ainda que o animal não foi levado até a unidade de atendimento e que socorro jamais seria negado na situação. Uma atendente apenas informou que não havia equipe para resgate de animais, mas que o atendimento seria realizado caso o animal fosse levado até as dependências do hospital e que o mesmo precisaria de um tutor responsável para acompanhá-lo no processo.

Por Adriano Fernandes

Fonte: Campo Grande News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.