MP pede perícia para identificar maus-tratos em animais em Limeira, SP

MP pede perícia para identificar maus-tratos em animais em Limeira, SP
Foto: GCM

O promotor Hélio Dimas de Almeida Júnior solicitou à Polícia Civil, em manifestação assinada no último dia 4/12, a realização de exame pericial, ainda que indireto, em relação aos animais localizados abandonados em um imóvel na rua General Rondon, Jardim Piza, em Limeira.

Em 17 de novembro, agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) foram chamados por uma protetora para checar a denúncia de que um homem praticava maus-tratos contra cães em sua residência. No local, foram achados nove cachorros, entre eles uma cadela excessivamente magra e em período de amamentação de filhotes.

A fêmea e cinco filhotes foram levados para a avaliação pela equipe do Departamento de Bem Estar Animal da Prefeitura de Limeira. Relatório elaborado por uma agente fiscal indicou que os cães estavam “muito magros” e havia fezes e sujeira pelo local.

Outro relatório fornecido por uma médica veterinaria da Prefeitura apontou que a fêmea adulta se apresentava muito magra, com carrapatos e desidratação leve.

A protetora que acionou a GCM recebeu a denúncia de uma vizinha e tirou foto, após escalar o muro, para comprovar a situação dos animais. Relatou à polícia a precariedade do local – a residência e a água estavam sujas e não havia alimentação para os animais na ocasião.

O investigado declarou que morava no local, mas atualmente está com a sua mãe. Justificou que a magreza da cadela é decorrente da amamentação e ela se alimenta muito bem. Alega, ainda, que está sem condições financeiras para dar mais conforto aos animais.

O MP recebeu o relatório final da Polícia Civil, assinado pelo delegado Cláudio Navarro, mas, com a nova perícia, quer saber se foram identificados ferimentos, sinais de maus-tratos e/ou lesões, em decorrência da conduta do investigado, em especial em relação da cachorra que foi apontada que estava magra.

Caso necessário, a polícia pode solicitar auxílio ao poder público municipal para o cumprimento da medida, uma vez que o laudo preferencialmente deve ser feito por médico veterinário da Prefeitura.

O juiz da 1ª Vara Criminal de Limeira, Rogério Danna Chaib, determinou o retorno dos autos ao 3º Distrito Policial para cumprimento da diligência, no prazo de 30 dias.

Fonte: Diário de Justiça

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.