MP, policia e prefeitura investigam execução de cães por veterinário em Corumbataí do Sul, PR

Por Luiz de Carvalho

Além da investigação que já está sendo feita pelo Ministério Público de Barbosa Ferraz, também a prefeitura de Corumbataí do Sul vai instalar uma sindicância para apurar a execução de cães na cidade. A Polícia Civil também tem um inquérito no mesmo sentido.

Todos os indícios apontam para a Vigilância Sanitária, que estaria matando os cães com injeções letais e enterrando os corpos próximo ao aterro sanitário.

Segundo o prefeito Carlos Caxão (PDT), a Vigilância não tinha autorização para exterminar a população canina de rua. Segundo ele, a VS é o órgão que deveria estar cuidando da saúde dos animais, não matando-os.

A presidente da Associação Protetora dos Animais de Corumbataí do Sul, Magna Rosana Oliveira Martins, disse que entre os animais executados sob a responsabilidade do médico veterinário Antonio Maria Ferrari, chefe da Vigilância, havia vários que tinham donos.

Se ficar comprovado que o que ocorreu foi mesmo execução, sem qualquer laudo técnico que respaldasse a ação, o veterinário chefe da Vigilância, Ferrari, poderá sofrer um inquérito administrativo e perder o cargo para o qual é concursado, receber multa até 100 vezes o valor de sua remuneração e ainda responderá ainda pelo crime de improbidade administrativa. O veterinário pode ainda ser condenado até 10 anos por crime ambiental e maus tratos a animais. A pena pode ser multiplicada pela quantia de cães mortos sob a responsabilidade dele.

Fonte: odiario.com

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.