MP vai investigar extermínio de cães e gatos em São José do Rio Preto, SP

MP vai investigar extermínio de cães e gatos em São José do Rio Preto, SP

Por Raul Marques

SP rio preto exterminioO Ministério Público abriu uma investigação para averiguar possíveis irregularidades cometidas no Centro de Controle de Zoonoses de Rio Preto. A medida foi adotada após o Diário revelar em reportagem publicada no último domingo que 19.089 animais foram mortos na repartição pública no período entre 2006 e 2014. O promotor de Justiça Sérgio Clementino foi designado para averiguar em quais circunstâncias ocorreram as mortes de 16.822 cachorros e 2.267 gatos, a infraestrutura existentes no município e quais políticas o Poder Público desenvolve para resolver o problema de forma definitiva. 

“Vou analisar a questão e decidir qual melhor caminho será percorrido para investigar o fato, que pode se transformar em um inquérito civil público. Vou solicitar informações para a Secretaria Municipal de Saúde e iniciar os trabalhos”, afirma o promotor. A publicação da reportagem causou grande comoção entre os leitores. Somente no Facebook do Diário, a reportagem foi visualizada 82 mil vezes e ganhou 770 curtidas. Foi compartilhada por 770 pessoas, que ainda registraram 157 comentários, com críticas, sugestões e desabafos. 

Na reportagem de domingo, Arnaldo Almendros de Mello, secretário municipal de Saúde entre 2005 e 2008, disse como o serviço era realizado. “Eram mortos se apresentassem doenças incuráveis ou quando havia superlotação. O ambiente não era adequado. A estrutura ficava longe da que a gente gostaria.”

SP rio preto  exterminio 2Já a atual secretária municipal de Saúde, Teresinha Pachá, declarou que a pasta começou a reorganizar o centro de zoonoses no ano de 2009. “Só ocorrem eutanásias hoje em caso de doença, com laudo de veterinário e uso de anestesia.” Durante três meses, a Secretaria Municipal de Saúde escondeu do Diário os dados sobre o centro de zoonoses. O jornal fez legalmente o pedido via Lei de Acesso à Informação. A negativa, inclusive, gerou outra investigação do Ministério Público, a cargo do promotor Cláudio Santos de Moraes. 

Concomitante à resposta da Prefeitura ao Ministério Público, o prefeito Valdomiro Lopes determinou que as informações fossem disponibilizadas ao jornal. Mesmo assim, não houve total abertura. A reportagem foi impedida de entrar e conhecer as instalações do departamento de zoonoses. 

A Prefeitura espera detalhes burocráticos para disparar neste mês a licitação para construir o novo Centro de Zoonoses de Rio Preto, no bairro Sete Sul. O espaço terá 745 metros quadrados de área construída. Vai custar R$ 1,2 milhão. A Secretaria Municipal de Saúde informou na tarde de ontem, via assessoria, que vai prestar todos os devidos esclarecimentos sobre o centro de zoonoses ao Ministério Público. 

Fonte: Diario Web.com.br

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.