MPF e PF fazem perícia em centro do Ibama em Seropédica, no RJ

MPF e PF fazem perícia em centro do Ibama em Seropédica, no RJ
Mais de 600 animais morrem em centro de tratamento do Ibama. — Foto: Arquivo Pessoal

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal realizaram uma perícia no Centro de Tratamento de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama, em Seropédica, na Baixada Fluminense, no começo da tarde desta terça-feira (2). Os fiscais constataram diversas irregularidades.

Vídeo: Sofrimento de animais em Seropédica não termina.

Um inquérito foi aberto para apurar crime ambiental e maus-tratos dos animais no local, que deveria auxiliá-los a se recuperarem.

O contrato com a empresa terceirizada responsável pelos tratadores foi suspenso. Em quatro meses, 600 animais morreram.

Gaiolas lotadas e animais sem alimento

Os funcionários contaram que, ao longo do ano passado, também foi suspenso o contrato para o fornecimento de ração e que os animais só tiveram alimentos graças a doações. Os contratos foram regularizados há cerca de um mês.

Algumas gaiolas estão superlotadas, uma delas tem 26 papagaios. Várias aves já poderiam estar soltas na natureza, mas as operações envolvem custos e viagens. Segundo os funcionários, não têm sido autorizados pelo superintendente do Ibama no Rio de Janeiro.

Outros funcionários devem ser ouvidos pelos policiais federais ao longo da semana. O superintendente do Ibama no Rio, contra-almirante da reserva da Marinha Alexandre Dias da Cruz, também deve prestar depoimento.

“A Polícia Federal, desde a semana passada quando recebeu a noticia da situação pela qual se encontra aqui o Cetas do Ibama em Seropédica, abriu formalmente a investigação a fim de apurar as condições pelas quais os animais estão submetidos aqui. Foi instaurado um crime visando a apurar os maus-tratos, artigo 32 da lei de Crimes Ambientais. Já foram ouvidos alguns servidores aqui do Cetas do Ibama e essa semana serão ouvidos outros dois”, afirmou o delegado Sandro Pereira.

MPF recomenda que Ibama restabeleça cuidados no local
 
Após realizar uma inspeção nesta terça-feira (2) no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), o Ministério Público Federal (MPF) expediu recomendação à superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama-RJ) para restabelecer imediatamente os cuidados e a recepção de animais silvestres no local.

“Para nós, tão grave quanto não ter tratamento adequado aqui é você não providenciar uma rápida entrada e saída de animais aqui desse centro. (…) Nós vamos então cobrar tanto copias desses processos como também outras informações relacionadas à falta de funcionários e à falta de tratamento adequado para esses animais aqui”, afirmou o procurador da República Sérgio Suiama.

O que dizem os citados
 
O MPF deu prazo de 10 dias para que o Ibama regularize os serviços de recepção, tratamento e soltura dos animais.

O Ibama, por sua vez, não respondeu os questionamentos do RJ2.

Por Mônica Sanches

Fonte: G1

Ibama manda contratar pessoal para centro de tratamento onde mais de 600 animais morreram em 4 meses

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.