MPPE apura se houve negligência em morte de cadela no Recife, PE

MPPE apura se houve negligência em morte de cadela no Recife, PE
Foto: Reprodução Youtube

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) investigará se houve negligência por parte da equipe médica do Hospital Veterinário do Recife, inaugurado recentemente no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife. Menos de uma semana de funcionamento, a unidade de saúde foi alvo de críticas após um vídeo ter grande repercussão nas redes sociais (veja o vídeo).

Nas imagens, uma criança chora ao lado da sua cadelinha, morta, e um senhor discute com um funcionário, atribuindo a culpa ao hospital por negar atendimento. O vídeo, que já ultrapassa a marca dos 700 compartilhamentos, servirá de prova para o MPPE incluir nas investigações, que poderão resultar no ingresso de inquéritos civil e criminal.

Com três anos de atraso, a gestão municipal abriu as portas do equipamento público atestando uma capacidade de 2,2 mil procedimentos por mês, sendo 70 atendimentos clínicos diários e mais de 35 exames radiográficos por dia.

A princípio, o promotor Ricardo Coelho, que ficará à frente do caso, verificará in loco se o espaço dispõe de infraestrutura para fazer os atendimentos. Serão levados em conta, por exemplo, a qualificação e o quantitativo de profissionais, bem como se o espaço possui equipamentos necessários para atender as demandas.

“Os desdobramentos para essa investigação podem resultar em dois caminhos. No cível, pode resultar na indenização ao responsável pela cadela e a recomendação para que o hospital adote providências para melhorar o atendimento. E se for averiguada negligência e maus tratos por parte do profissional, o que é crime, o veterinário poderá ser detido ou cumprir pena alternativa, como prestar serviços comunitários”, adiantou. O caso ocorreu nessa quarta-feira (14).

O caso ganhou repercussão após uma das pessoas que aguardavam atendimento na porta do hospital postar o vídeo em sua página no Facebook. Na publicação, a mulher destaca “essa é a historia real do novo hospital veterinário inaugurado a semana passada. Tem emergência, mas a emergência só funciona se você estiver agendado. Se nao estiver marcado, nem entrar você entra. Os animais estão morrendo na porta do hospital. Até onde vamos com esse desrespeito com os animais?”, questionou.

Procurada pela Folha de Pernambuco, a Secretaria Executiva de Direito dos Animais (Seda) esclareceu que a cadelinha passou pela triagem inicial pela manhã com o veterinário, mas duas crianças, que não estavam acompanhadas por nenhum responsável, não souberam informar o que o animal tinha. O médico, então, pediu para que elas retornassem com um adulto, o que só aconteceu por volta das 16h.

“O animal chegou com convulsões no Hospital Veterinário do Recife e chegou a ser atendido pelos veterinários, mas veio a óbito. A Seda lamenta a morte da cadela”, complementou em nota. A Seda ainda reforçou que “os atendimentos clínicos rotineiros precisam ser agendados, mas para as emergências, não é necessária a marcação. Os animais precisam ser levados por um adulto”. Os agendamentos podem ser feitos por meio dos telefones (81) 3355.9415 e 3355.8179.

Por Priscilla Costa

Fonte: Folha PE

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.