Mulher acusada de ‘brincadeira criminosa’ por dar água aos animais sedentos

Mulher acusada de ‘brincadeira criminosa’ por dar água aos animais sedentos

Por Jacy Anthis / Tradução Alice Wehrle Gomide

Canada agua porcos

No dia 22 de junho, Anita Krajnc se aproximou de um caminhão de transporte que estava parado do lado de fora do matadouro de porcos Fearman’s Pork Inc em Burlington, uma cidade na região de Toronto, no Canadá. Ela apertou sua garrafa e jogou água para os animais sedentos que estavam dentro do caminhão. O motorista saiu do seu veículo e falou para que ela parasse de dar água para os porcos. Como Anita se recusava a parar, ele disse a ela: “Não, sabe de uma coisa, eles não são humanos, sua estúpida”. Anita repetidamente pediu a ele para “ter um pouco de compaixão”, enquanto os porcos continuavam bebendo a água, e o motorista a ameaçou, “Se você fizer isso de novo, eu vou arrancar essa garrafa da sua mão no tapa”. Finalmente, o motorista voltou ao caminhão e saiu sem nenhuma altercação física.

Em 9 de setembro, um oficial de justiça foi até a casa de Anita para entregar uma intimação sob acusação de brincadeira criminosa por dar água aos porcos. Anita ficou preocupada que os membros de sua organização, Toronto Pig Save (TPS), pudessem se sentir intimidados com essas acusações. Mas ao invés disso, no dia 24 de setembro, mais de 100 pessoas foram até o matadouro Fearman’s Pork Inc para distribuir água.

Anita compareceu rapidamente na corte no último dia 14, para receber a divulgação de suas acusações e agendar sua próxima audiência para o dia 4 de novembro. Ela escreveu em uma postagem no Facebook, “Compaixão não é crime! Oferecer água a um porco sedento é um ato de compaixão. Não é somente um direito, mas um dever que todos temos. Causar o sofrimento dos porcos é o que está errado. Eu enfrento estas acusações criminais com dignidade, sabendo que a verdade e a justiça estão do meu lado”. Membros do TPS se reuniram no tribunal para dar apoio à Anita e planejam fazer a mesma coisa com muito mais pessoas na próxima audiência.

Canada agua porcos2

As acusações contra Anita levantam importantes questões sobre nosso atual sistema de alimentação. Porcos foram recentemente reconhecidos como mais inteligentes que cães e tiveram a mesma performance dos chimpanzés em testes de inteligência. Apesar da inteligência ser uma base fraca para uma consideração moral, ela deveria pelo menos nos fazer parar e considerar porque aceitamos alguns animais em nossos círculos altruístas mas exploramos outros. Todos estes animais possuem capacidade para felicidade e sofrimento da mesma forma que nós.

Anita e outros membros do TPS trabalham para dar testemunho sobre o sofrimento destes seres, espalhando a consciência de sua condição e inspirando pessoas de bom coração a agir em nome deles, seja através da mudança de seus hábitos alimentares, participando em ativismo, ou de outras maneiras.

De acordo com o grupo ativista Canadian Coalition for Farm Animals (CCFA), cavalos, porcos e galinhas são todos autorizados a ser transportados por 36 horas sem comida, água ou descanso. Vacas e outros ruminantes tem um limite máximo de 52 horas, e o transporte pode continuar somente após um descanso de 5 horas. O transporte regularmente leva a fome e desidratação, exaustão e superaquecimento.

Em Toronto, o calor pode chegar até 40° no verão. No inverno, TPS já testemunhou porcos enfrentando gangrenas e hipotermia em temperaturas abaixo de -23°. Todos os tipos de animais ‘de fazenda’ enfrentam esses problemas no transporte, até mesmo os que vem de fazendas de “criação em liberdade” ou “humanizadas”.

TPS inspirou um movimento maior chamado “Save”, com mais de 40 capítulos para aumentar a conscientização sobre vacas, porcos, galinhas e outros animais ‘de fazenda’. Esta comunidade é somente uma parte de um grande movimento social para os direitos dos animais que continua crescendo. Por exemplo, ativistas trabalhando para várias organizações recentemente conquistaram uma onda de compromissos de empresas nos EUA para que não usem mais ovos que venham de instalações com gaiolas com iluminação e gaiolas minúsculas que causam problemas físicos e mentais para as galinhas. Apesar das instalações sem gaiolas ainda envolverem tremendo sofrimento e abuso, é um progresso importante e sinaliza esperança e promessa para o futuro dessas criaturas sencientes.

É incrivelmente importante que a gente carregue este momento crescente para um futuro livre de sofrimento animal. Nós precisamos de mais pessoas nesta luta, conscientizando sobre o sofrimento dos animais ‘de fazenda’. Nós precisamos de mais pessoas erguendo a voz e conscientizando sobre estes animais, seja através do compartilhamento em mídias sociais ou fazendo ativismo pessoalmente. A agricultura animal é uma das maiores atrocidades de nosso tempo, mas juntos nós podemos mudar este sistema.

Fonte: Huffington Post

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.