Mulher denuncia maus-tratos a gatos no Conjunto Mourão Filho, em Ivaiporã, PR

Mulher denuncia maus-tratos a gatos no Conjunto Mourão Filho, em Ivaiporã, PR
Fotos: Reprodução Internet

Moradores do Conjunto Mourão Filho, município de Ivaiporã, estão em alerta com constantes ataques a gatos que têm ocorrido no bairro, nos últimos meses. A costureira Marinez Ribeiro Mendes, residente na rua João Leopoldo Jacomel, teve um susto no dia 23 de dezembro, quando o Pantera, seu gato de estimação, apareceu em casa muito ferido, com um golpe de faca na barriga.

Ela conseguiu socorrer o animal, que foi levado até o veterinário e, após um procedimento, ele recebeu uma sutura e conseguiu sobreviver. No entanto, essa não é a primeira vez que seu gato é esfaqueado; em maio de 2016, ele também foi atingido com um golpe de faca, mas menos grave. Outro gato de Marinez Mendes, chamado Jerônimo, também foi alvo de maus tratos. O animal perdeu a pata traseira direita há cerca de um ano. “O veterinário acredita que ele tenha sido atingido por um golpe com uma barra de ferro”, afirma a tutora do animal.

Casada com o policial militar Marcelo Mendes, o casal tem cinco gatos, todos castrados e afirmam que procuraram manter os animais dentro de casa, o maior tempo possível. “Eles ficam a noite toda em casa e só saem à tarde”, afirma. Para evitar novos ataques, o casal pensa em instalar uma tela em toda a extensão da casa, no entanto, eles cobram providências para que cessem os maus-tratos.

A vizinha Marisa Quadros já teve dois gatos que, provavelmente, foram mortos. Ela comenta que ajudou Marinez Mendes a socorrer o gato machucado. “Nós solicitamos, inclusive, a um dos vizinhos que tem uma câmera de segurança que cedesse as imagens, para saber de onde teria vindo o bichinho machucado, mas ele disse que as imagens estavam prejudicadas”, destaca a moradora. Ela relata, ainda, que são vários os casos de vizinhos que tiveram gatos envenenados nos últimos meses, no bairro.

“Queremos uma providência, já que maus tratos a animais é crime e não tem como deixar isso ficar impune”, solicita Marinez Mendes, que disse ter gasto mais de R$ 2 mil com os procedimentos cirúrgicos para amenizar a situação dos seus animais.

O delegado de Polícia Civil de Ivaiporã, Gustavo Dante da Silva, relata que a pessoa flagrada realizando maus tratos a animais pode responder pelo crime, que é tipificado no artigo 32 da lei 9605/98 e que tem pena prevista de três meses a um ano de reclusão. Ele alerta, no entanto, que os proprietários dos animais também devem ter cuidados redobrados, porque se o bichinho de estimação causar algum dano a outras pessoas, o dono responde pelo crime de omissão de cautela e lesão culposa. “A legislação protege os animais e implica também na responsabilidade dos donos, inclusive se os mesmos causarem transtorno à vizinhança”, alerta o delegado.

O presidente da Sociedade Protetora dos Animais Toca de Assis de Ivaiporã, Márcio Castro, acrescenta que além de responder a processo na justiça, em Ivaiporã, a Câmara de Vereadores aprovou, no ano passado, uma lei municipal que aplica multa a maus tratos a animais que varia entre R$ 300 a R$ 1600.

Ele ressalta que ao flagrar uma situação de maus tratos, o cidadão deve oferecer a denúncia junto à Polícia Militar, Polícia Civil e a Polícia Ambiental.

Castração pode acalmar gatos

Castro comenta que uma das formas de acalmar os gatos, para que eles fiquem mais confinados em casa, é realizar a castração de machos e fêmeas. O município tem um programa de castração grátis de animais para as pessoas que não têm condições de pagar o procedimento. Além disso, ele ressalta que a Sociedade auxilia as pessoas para realizar a castração.

Fonte: Paraná Centro 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.