Mulher é flagrada abandonando cão em frente ao abrigo de Rio Negro, PR

Mulher é flagrada abandonando cão em frente ao abrigo de Rio Negro, PR

Na última quinta-feira (18) às 06h45, a câmera de monitoramento do Abrigo de Cães São Francisco de Assis, em Rio Negro, flagrou um fato lamentável. Um cachorro foi deixado em frente ao abrigo por uma senhora. O vídeo mostra toda a ação. O abrigo pede a ajuda da população para compartilhar e assim identificar a pessoa.

Olá pessoal! Precisamos da ajuda de vocês. Essa Senhora esqueceu sua cachorra em frente ao Abrigo, esse fato ocorreu na quinta-feira (18/10) às 06:45 da manhã. Precisamos encontrá-la, pois a cachorrinha ficou o dia todo aqui, esperando sua dona vir buscá-la. Talvez essa senhora tenha confundido nosso Abrigo, com uma clínica veterinária, já que sua cadelinha está no cio. Senhora, nós somos um Abrigo de Cães, uma ONG, e vivemos de doações; então pedimos encarecidamente que a senhora venha buscá-la, pois queremos acreditar que a esqueceu, e não abandonou-a, pois como todos sabem e a senhora também deve saber, abandono é crime, previsto pela Lei Federal 9605/98 (Lei de Crimes Ambientais), passível de multa ou detenção. Não podemos acreditar que seja abandono, pois achamos que ser humano algum é capaz de tal ato. Pedimos a ajuda de todos vocês para encontrar essa senhora que esqueceu sua cachorrinha, pois ela está seriamente desesperada, chora muito esperando sua dona vir buscá-la. Esse choro é inconsolável e representa a dor do abandono!!! Ps: Essa senhora possui um celta branco. NOS AJUDEM COMPARTILHANDO! SE VOCÊ CONHECE A SENHORA, POR FAVOR, IDENTIFIQUEM-A!

Julkaissut Francisco de Assis Lauantaina 20. lokakuuta 2018

Mensagem do abrigo de cães São Francisco de Assis, pedindo ajuda da população para que o vídeo seja compartilhado e a pessoa identificada:

Olá pessoal! Precisamos da ajuda de vocês. Essa senhora “esqueceu” sua cachorra em frente ao Abrigo. Esse fato ocorreu na quinta-feira (18/10) às 06h45 da manhã. Precisamos encontrá-la, pois a cachorrinha ficou o dia todo aqui, esperando sua dona vir buscá-la. Talvez essa senhora tenha confundido nosso abrigo com uma clínica veterinária, já que sua cadelinha está no cio. Senhora, nós somos um Abrigo de Cães, uma ONG, e vivemos de doações; então pedimos encarecidamente que a senhora venha buscá-la, pois queremos acreditar que a esqueceu, e não abandonou-a, pois como todos sabem e a senhora também deve saber, abandono é crime, previsto pela Lei Federal 9605/98 (Lei de Crimes Ambientais), passível de multa ou detenção. Não podemos acreditar que seja abandono, pois achamos que ser humano algum é capaz de tal ato. Pedimos a ajuda de todos vocês para encontrar essa senhora que esqueceu sua cachorrinha, pois ela está seriamente desesperada, chora muito esperando sua dona vir buscá-la. Esse choro é inconsolável e representa a dor do abandono!

Nos ajudem compartilhando! Se você conhece a senhora, por favor, identifique-a!

Denuncie

Os direitos dos animais nem sempre são respeitados e casos de abandonos e maus tratos infelizmente são constantes em Rio Negro e Mafra. Muitas pessoas ainda pensam que basta “empurrar” o cachorro para o abrigo quando ele não é mais “útil”.

Denunciar maus tratos ou abandono de animais é a única forma de dar o verdadeiro valor aos direitos dos bichinhos e contribuir para diminuir a irresponsabilidade e a impunidade. Antes, porém, certifique-se de que se trata realmente de um caso de maus tratos, como espancar ou manter um bicho acorrentado, privá-lo de alimentos ou de assistência veterinária.

Confirmado o crime, colha evidências (fotos, por exemplo) e testemunhos que comprovem a situação e compareça à delegacia mais próxima de sua casa para lavrar um Termo Circunstanciado, citando o artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (nº 9.605/98).

A Lei dos Crimes Ambientais pune todo aquele, seja pessoa física ou jurídica, que pratique crimes contra a natureza e os animais. As penas variam de multas a prisão. As denúncias devem ser feitas diretamente em uma delegacia de polícia. Procure o escrivão de polícia e conte o que aconteceu.

Caso não receba um bom atendimento, procure a Ouvidoria ou a Corregedoria da Polícia Civil, levando o nome da equipe que a atendeu na delegacia. Em último caso, procure o Ministério Público.

Fonte: Click Riomafra

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.