Mulher é presa em Uberlândia (MG) por maus-tratos de animais

Mulher é presa em Uberlândia (MG) por maus-tratos de animais
Fotos: Polícia Militar de Meio Ambiente / Divulgação)

No fim da manhã de segunda-feira, militares da 9ª Cia Polícia Militar do Meio Ambiente foram acionados para apurar uma denúncia de maus-tratos a cães no Bairro Jardim Célia, zona oeste da cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

Os policiais localizaram no quintal no fundo da residência uma cadela de grande porte em estado deplorável. De acordo com relato dos militares, a cadela mal conseguia latir e se manter de pé, estava infestada de carrapatos e tinha sarna por todo o corpo, além de apresentar magreza extrema. Também foi encontrado um cachorro de médio porte, que aparentava estar abaixo do peso e sujeito a ser infestado de carrapatos e sarna, pela proximidade com a cadela.

Ambos os animais estavam com coleira e amarrados por correntes, em local insalubre, com mato alto cercando o espaço destinado aos cães. Os militares acreditam que os dois animais estavam praticamente abandonados. Não havia comida ou vestígios de restos de alimentos e, apesar terem encontrado água à disposição dos cães, os militares informaram o líquido estava exposto ao sol e bastante sujo e que havia lodo nas vasilhas.

Diante disso, foi dada voz de prisão em flagrante à mulher, de 34 anos, por contrariar o artigo 32 da Lei Federal 9605/98, a “Lei dos Crimes Ambientais” de maus-tratos de animal doméstico. A autora foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos.

Cães estava em estado de extrema magreza, com carrapatos e sarna

Adoção

De acordo com informações do Sargento Eduardo Venâncio, a cidade de Uberlândia não dispõe de um local para receber animais apreendidos. Por isso, os animais apreendidos ficariam sob os cuidados da autora. No entanto, os militares ambientais fizeram ampla divulgação do caso e os cães serão resgatados por uma protetora que vai providenciar tratamento médico veterinário e um lar para os animais.

Fonte: Estado de Minas 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.