Mulher é presa por deixar cão doente e abandonado no sul de Minas

Mulher é presa por deixar cão doente e abandonado no sul de Minas
Animal não resistiu e morreu na clínica veterinária em Pouso Alegre. Foto: ONG Unicão/Divulgação

Uma mulher de 23 anos foi presa em flagrante pela Polícia Militar do Meio Ambiente (PMMA) em São João da Mata, no sul de Minas. Ela é suspeita de maus-tratos contra um cão que estava doente e abandonado em uma residência na Rua João Bueno Fagundes, no centro da cidade.

Vizinhos denunciaram o caso para a ONG Unicão, que trabalha na causa animal em São João da Mata. As denúncias afirmavam que o cão estava muito magro, fraco, tendo espasmos e que já não ficava em pé ou latia.

A presidente da ONG, Silvania de Almeida, relatou tentou contato com os responsáveis pelo animal, mas sem sucesso. Por isso ela acionou a PMMA, que foi até o local por volta de 9h dessa quarta-feira (8/5). A polícia confirmou que era preciso socorro médico veterinário e que não havia ninguém na casa.

Os militares foram até a casa do pai da tutora do animal para que ele cortasse a corrente que trancava o portão e o animal fosse resgatado. Ao entrar no imóvel, a guarnição militar constatou que o local estava insalubre, sujo de fezes e que o animal estava doente.

Vários pães estavam no chão, próximo do animal, que teriam sido jogados pelos vizinhos. O animal foi resgatado e encaminhado para atendimento médico veterinário no município de Pouso Alegre. O cão não resistiu e morreu horas depois do resgate.

“Este animalzinho estava agonizando e fazia uns 3 dias que a tutora dele não estava na sua residência. Quando a polícia chegou lá, viu a situação que o animal se encontrava. Levamos imediatamente à clínica em Pouso Alegre, mas o animal não aguentou e veio a óbito por volta das 11h15 da manhã”, relatou a ONG nas redes sociais.

De acordo com o laudo veterinário, o cão apresentava quadro grave de desidratação, mucosas esbranquiçadas, estado severo de caquexia (perda de peso) e feridas pela região do abdómen, podendo ter sido acometido por doença infectocontagiosa grave.

A autora foi presa em flagrante, pelo crime de maus tratos. Ela foi conduzida à Delegacia de Polícia Civil de Pouso Alegre, onde prestou esclarecimentos.

Por Iago Almeida

Fonte: Estado de Minas

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.