Mulher é presa por tentar afogar cão em praia da zona sul do Rio

Mulher é presa por tentar afogar cão em praia da zona sul do Rio
Cachorro que foi salvo de ser afogado está na 9ªDP ( Catete) a espera de abrigo ou lar temporário — Foto: Instagram Projeto nas Garras da Lei

Uma mulher foi presa , neste domingo, por tentar afogar um cão na Praia do Flamengo, na Zona Sul do Rio. A Polícia Civil confirmou que a suspeita foi autuada em flagrante por crime de maus-tratos a animal. O cachorro, um vira-lata caramelo de porte médio, foi levado para a 9ªDP (Catete). A unidade tenta viabilizar um abrigo ou lar temporário para receber o bichinho. Enquanto isso, postagens feitas em redes sociais pedem que caramelo seja adotado.

De acordo com relatos postados na internet, a mulher teria entrado no mar levando o cachorro nos seus braços . Ela teria colocado o bicho na água, que foi pisoteado para evitar que ele pudesse respirar. Ainda segundo a postagem, um banhista notou o que ocorria e salvou o cão. Em seguida, chamou a Polícia Militar. Após a chegada dos policiais, foi verificado que o animal estava debilitado e que tinha dificuldades para ficar em pé. O bicho também teria tido ânsias de vômito e precisou ser socorrido por bombeiros de um posto de salvamento.

Segundo postagens, a mulher foi detida por policiais militares e questionada pelo comportamento, quando teria apresentado possíveis sinais de um quadro de transtorno. Ela foi levada para 9ªDP, onde acabou sendo autuada em flagrante . O delito prevê pena de dois a cinco anos de prisão em caso de condenação.

Procurada, a PM enviou nota confirmando a prisão da mulher, ocorrida na altura da Avenida Infante Dom Henrique. A seguir, a íntegra do documento. “A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que, no domingo (25/2), policiais militares do 2ºBPM prenderam uma mulher por maus-tratos contra um cachorro, na Av. Infante Dom Henrique, Glória. Ocorrência encaminhada para a 9ªDP.”

Por Marcos Nunes

Fonte: Extra

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.