Mulher perde a tutela de seu cão após vizinha filmar espancamento

Mulher perde a tutela de seu cão após vizinha filmar espancamento

Segundo uma associação protetora, o filhote de cinco meses “sofria espancamentos frequentes provavelmente por fazer necessidades onde sua tutora não queria”.

Tradução de Nelson Paim

A polícia local de Dos Hermanas, Sevilha, retirou de uma mulher a tutela de um filhote de cão após uma vizinha gravar um vídeo a partir de sua sacada em que ela batia no animal em repetidas ocasiões.

O caso foi denunciado pelo partido PACMA e levado a conhecimento da União Protetora e Defensoria de Animais (UPRODEA), que acessou o vídeo em que se pode ver a mulher golpeando em repetidas ocasiões o filhote, imagens estas que têm sido difundidas pela associação através de sites e das redes sociais.

ATENÇÃO: Essas imagens podem ferir a sensibilidade de algumas pessoas

“Após ver as imagens de extrema crueldade não pensamos duas vezes e nossa voluntária Esther se pôs à disposição e não desistiu de seu empenho para tirar este pobre cão deste inferno”, assinalou a associação, que agradece a prefeitura nazarena, aos agentes policiais e ao assessoramento da FIDEA que conseguiu que o cão “fosse retirado de seus donos em tempo recorde”.

O animal, segundo a mesma fonte, é um filhote de menos de cinco meses “que recebia espancamentos frequentes, provavelmente por fazer suas necessidades onde não queria sua dona, sem nenhum tipo de consideração e a vista de todos”.

Esta atuação foi possível graças “a existência de uma pessoa valente e decidida que conseguiu as provas de maus-tratos e com elas entrou com a denúncia. Sem isto não se poderia fazer nada de forma rápida e eficaz”, destacou a UPRODEA, destacando para que “qualquer um que seja testemunha de um caso de maus-tratos que reúna provas e denuncie sempre, porque com uma denúncia se pode atuar para defender o animal maltratado”.

O filhote foi rebatizado de Messi e os voluntários comemoraram que a sensibilização frente a estes temas está cada vez maior.

Fonte: La Vanguardia

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.