Mulher presencia tutor agredindo seu cão. Então resolve intervir e hoje é sua heroína

Mulher presencia tutor agredindo seu cão. Então resolve intervir e hoje é sua heroína
Fotos: Reprodução / Detroit Dog Rescue

Ao presenciar uma cena de agressão a um animal, qual seria a sua reação? Conseguiria reunir coragem dentro de si e impedir que algo pior aconteça? Pois foi exatamente isso que esta mulher fez.

Na cidade de Detroit, Briene se deparou com uma cena inacreditável: Presenciou um Pit Bull sendo agredido a chutes por um homem que supostamente era seu tutor. De acordo com ela, o cão chegou a ser jogado contra a porta de um carro. Quando ela percebeu que o animal estava sangrando, uma onda de fúria se instalou e imediatamente ela confrontou o agressor.

Assim que interviu na cena, ligou para a polícia e o homem foi embora. Para sua infelicidade, o cão machucado foi junto com ele. Horas depois, Briane ainda estava no local e, para sua surpresa o Pit Bull havia retornado. Talvez ele soubesse que ali haveria segurança e tomou uma grande atitude: o abandonou. Sua salvadora então lhe deu comida, um cobertor e entrou em contato com um grupo de resgate de animais local, a Detroit Dog Rescue.

Fotos: Reprodução / Detroit Dog Rescue

Quando chegou ao veterinário, houveram muitas respostas: O cão se chamava Diesel, as agressões resultaram em fraturas e ossos quebrados do cão e, para a surpresa de todos, ele ainda havia sido baleado! O tiro estava localizado em seu focinho e fragmentos haviam se espalhado por sua cabeça e pescoço.

O dinheiro necessário para a cirurgia de remoção da bala era de três mil e quinhentos dólares, valor este que por sua vez fora arrecadado facilmente. Mas ainda é um mistério para os veterinários como este cão sobreviveu.

Briane foi a responsável por salvar a vida de Diesel duas vezes. Agora, planeja fazer a terceira com o interesse em adotá-lo: “Eu quero adotá-lo e levá-lo para minha casa. Eu tenho caminhas, comida e um outro cachorro que adotei para lhe fazer companhia,”.

Por Rodrigo Sodré 

Fonte: Best of Web 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.