Mulher que acolheu 134 animais em Cubatão (SP) precisa reconstruir telhado de gatil

Mulher que acolheu 134 animais em Cubatão (SP) precisa reconstruir telhado de gatil
O gatil está com problemas estruturais.

O amor por animais é um sentimento que aflora algumas pessoas, já que boa parte delas optam por essa dedicação como se fosse um estilo de vida, realmente. Na Rua Marginal Imigrantes, na Vila Esperança, (número 676) a dona de casa Maria do Carmo dos Santos, uma sergipana de 60 anos, possui em sua casa, exatos 134 animais domésticos, divididos entre 48 cães e 86 gatos. Para conseguir ração para estes pets, essa nordestina acorda de madrugada para vender café, pão com margarina e demais gêneros alimentícios, aos trabalhadores do Polo Industrial, na região de Piaçaguera, além de pedir auxílio por meio das redes sociais.

Segundo ela, tudo começou há cerca de 10 anos, quando juntamente com o marido encontraram uma caixa com filhotinhos de gatos abandonados, embaixo da Rodovia dos Imigrantes. “O pessoal daqui da comunidade, ao saberem que a gente teve a compaixão de resgatar os primeiros bichinhos, começaram então a pegar animais abandonados pelas ruas do bairro e deixarem na minha porta. Com o acumulo de quantidade, tivemos a idéia de construir um canil para os cães e um gatil para os gatos¨, explicou a dona de casa, que disse ter contado com o apoio da ADVAC (Associação de Defesa a Vida Animal de Cubatão), para a castração dos animais.

No entanto, Do Carmo está prestes a ver todo o trabalho que ela teve durante todos esses anos com animais (principalmente com os gatos) passar por sérios problemas, já que as fortes chuvas dos últimos dias causou infiltração de água, por meio da viga central que sustenta o telhado do gatil. “Para que os gatos não tenham que ficar exposto ao tempo, ou até fugirem, estou abrigando alguns dentro de casa”, relata.

Do Carmo diz que o dano foi causado devido um erro de posicionamento das vigas de sustentação e, que para solucionar o problema do gatil, seria necessário duas novas vigas de madeira (de 3,5m cada) serem repostas no local correto, juntamente com quatro telhas grossas (3,44m x1m), além da mão de obra dos pedreiros.

CONTATO – Para quem quiser ajudar Maria do Carmo na reconstrução do gatil, ou para doar rações para os cães e os gatos, basta entrar em contato pelo telefone (13) 98819-5535 (WhatsApp) e falar com a própria Maria do Carmo dos Santos.

CONTRIBUIÇÃO – Para quiser contribuir com quantia em dinheiro o depósito deve ser feito para o Banco do Brasil, na Agência 1006-5, na conta corrente 73274-5, conta conjunta em nomes de Maria do Carmo dos Santos e Augusto dos Santos.

Por Valentim Cardozo

Fonte: Folha de Cubatão

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.