Mulher que deixou seu cão morrer de fome não recebe punição por júri não saber pelo que indiciá-la

Mulher que deixou seu cão morrer de fome não recebe punição por júri não saber pelo que indiciá-la

Após audição, mulher que deixou cão morrer de fome em Fayetteville, na Carolina do Norte, EUA, foi julgada inocente. O cão teve de ser sacrificado. A mulher, Stephanie Bates estava sendo acusada de crueldade contra animais, após seu cão Bruno, um boxer de três anos, ser abatido.

O juiz da corte Cumberland County Superior Court não conseguiu encontrar evidências suficientes para manter a acusação, e Bates acabou sendo inocentada. O cão havia sido diagnosticado com problemas gastrointestinais em 2013 e foi levado ao veterinário vários meses depois, mas não apresentou sinais de melhora. Um ano depois, Bates pediu ao veterinário que sacrificasse Bruno, mas ele se recusou.

Depois, o boxer foi cedido à instituição de controle de animais Cumberland County Animal Control.

Ele estava com tanta fome que não conseguia ficar em pé. Após sofrer uma parada cardíaca, Bruno foi sacrificado no começo de 2015. No fim das contas, o júri decidiu que Bruno teria morrido independentemente da quantidade de cuidados que tivesse recebido.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.