“Mumbucão” está auxiliando cem protetores na compra de medicamentos, vacinas e ração

“Mumbucão” está auxiliando cem protetores na compra de medicamentos, vacinas e ração
Foto: Clarildo Menezes

A Prefeitura de Maricá (RJ), por meio do programa “Mumbucão” da Secretaria de Proteção Animal, está auxiliando cem protetores na compra de medicamentos, vacinas e ração para os animais em vulnerabilidade social. A ação, que se iniciou em outubro, já atende 1.118 cães e gatos, sendo 552 de pequeno porte, 472 de médio porte e 94 de grande porte.

“Esse programa é uma forma de o poder público monitorar o espaço em que o animal está, melhorar a qualidade da comida, da assistência veterinária, do apoio psicológico, enfim, acompanhar de perto muitos outros fatores. O que estamos construindo aqui em Maricá vai servir de espelho para todo Brasil. Estamos preocupados com os animais e, também, em acompanhar e apoiar seus protetores na nossa cidade, pois essas pessoas, muitas vezes, abdicam da sua própria vida para cuidar dos animais de forma voluntária”, explicou o secretário de Proteção Animal, Fabiano Novaes.

O valor do benefício é de 70 mumbucas (equivalente a 70 reais) para os animais menores; 100 mumbucas (100 reais) para os de médio porte; e 130 mumbucas (130 reais) para os maiores. O valor é limitado a 1.300 mumbucas ou 10 animais por pessoa, pago por até um ano.

Os protetores atuam no resgate e disponibilização de cães e gatos para a adoção fornecendo lar temporário, cuidando da saúde e participando de programas de controle reprodutivo do município. Para participar, eles devem residir na cidade há pelo menos três anos, estar cadastrados na Coordenadoria, que fará visitas periódicas para avaliação das condições do espaço, abrigo, salubridade, alimentação, saúde e estabelecer os números de animais por espécies (cães e gatos) e condições adequadas que garantam o bem-estar dos animais e das pessoas residentes no local.

Moradora de Inoã, Sonia Esteves, que abriga cinco cães e 12 gatos, afirmou que o auxílio chegou no momento em que estava com dificuldades para abrigar os animais.

“Depois que me aposentei consegui dar mais auxílio aos animais de rua. O Mumbucão veio em um momento certo, pois estava apertada com as contas. Essa ajuda me permite tratar ainda melhor esses bichos, dar um espaço melhor, medicação e um maior conforto para eles”, comentou a aposentada que também cuida de algumas colônias de gatos nas ruas.

Celso Xavier, que cuida de 29 animais (entre cães e gatos) elogiou a nova política pública.
“Foi muito bom, pois agora eu não tenho preocupação para comprar ração e consigo dar uma comida de melhor qualidade para eles. Essa política de apoio, resgate e amparo dos nossos amigos de quatro patas é sensacional”, comentou o morador de Jacaroá que já participou do programa ‘Socializa_C@O’. A iniciativa, propõe melhorar o manejo dos cães pelos seus tutores, estimulando a boa integração entre as pessoas e os animais. O morador também oferece lar temporário e participa das campanhas de adoção de cães e gatos no município.

Sobre o programa

O programa foi desenvolvido após implementação de estudo técnico permanente, realizado desde 2021 pela Secretaria, que traçou um perfil socioeconômico da situação da proteção animal no município, a fim de gerar dados para subsidiar a construção de políticas públicas para garantir o bem-estar de quem adota e de quem protege cães e gatos.

Com a atualização de 70 dos 120 protetores cadastrados neste ano, já são quase 1.500 animais domiciliados. De acordo com o registo, 85,5 % dos protetores é composto por mulheres e 70,4% têm entre 40 e 70 anos de idade; 74,7% atuam na causa animal há mais de cinco anos e 33% não possuem casa própria. Já 79,6% representam aqueles que estão superlotados de animais resgatados e possuem mais de dez cães ou gatos, sendo que 20,3% têm mais de 30 animais e, muitas vezes, vivem em condições inadequadas.

Assistência aos animais de rua

Para dar assistência a cães e gatos que vivem nas ruas, dez clínicas veterinárias da cidade foram credenciadas para a realização de exames, internação e procedimentos ambulatoriais e cirúrgicos diversos (como ortopédicos, oftalmológicos e oncológicos).

A busca ativa pelos animais doentes é feita pela equipe técnica da Coordenadoria, mas qualquer cidadão de Maricá poderá ajudar os animais de rua solicitando a assistência pelo número de WhatsApp (21) 99546-0334. Os profissionais vão até o local para constatar as necessidades de saúde do animal, acolher e dar o atendimento veterinário necessário.
Após a recuperação, o animal será inserido no programa de adoção. No caso de constatação de abandono de cães ou gatos, o dono poderá ser identificado e denunciado por maus-tratos.

Proteção Animal

A Secretaria de Proteção Animal (Secpa) desenvolve diversas ações e políticas públicas para proporcionar o bem-estar e a proteção aos animais, como as campanhas de adoção e de conscientização sobre abandono, que acontecem em parceria com protetores, moradores e comerciantes.

Fonte: Prefeitura de Maricá

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.