Na tentativa de tirar a selfie perfeita com um elefante, indiano acaba morto pelo animal

Na tentativa de tirar a selfie perfeita com um elefante, indiano acaba morto pelo animal
doug.kukurudza / Flickr

No passado domingo, dia 28 de fevereiro, um homem de 21 anos morreu enquanto tentava tirar uma selfie com um elefante. O animal andou a pairar por zona residencial e anteriormente já tinha matado uma idosa.

Manohar Patel estava com um grupo de amigos quando o elefante invadiu uma zona residencial na aldeia de Gudhyari. Segundo as autoridades locais, o animal deverá ter escapado da floresta de Sarangarh.

Curiosa, a população observava o elefante, enquanto as autoridades tentavam afugentar o animal. Contudo, o desejo de ver o gigante de perto, e de tirar uma fotografia para mais tarde recordar, custou a vida ao jovem de 21 anos.

Enquanto Patel tentava tirar uma selfie com o elefante, este “avançou de repente em direção ao grupo de amigos. Três deles conseguiram escapar do local, mas o animal acabou por conseguir agarrar Patel e pisá-lo até a morte”, contou Pranay Mishra, responsável pela Divisão Florestal, à PTI.

Segundo o Vice, após o incidente, funcionários florestais e polícias levaram o corpo para autópsia. A família da vítima recebeu uma ajuda imediata 340 dólares.

De acordo com autoridades florestais, o mesmo elefante esteve também envolvido na morte de uma idosa numa aldeia próxima há alguns dias.

O facto dos elefantes escaparem das florestas indianas frequentemente deve-se em grande parte ao desmatamento e ao corte ilegal de árvores. Estes são os principais responsáveis pela distorção nos padrões de movimento dos animais que estão a usar esses fragmentos florestais menores para se deslocarem para áreas habitacionais.

O conflito homem-elefante na região foi também exacerbado devido à falta de comida nas florestas o que leva os animais às cidades e vilas vizinhas. Aqui, as pessoas ficam entusiasmadas com o desconhecido e geralmente querem tirar fotografias, mas detalhes como o flash da câmara podem irritar os animais e levá-los a ter atitudes muito agressivas.

No entanto, este tipo de incidentes não são uma novidade, sobretudo na Índia. De 2011 a 2017, o país foi responsável por quase metade das 259 fatalidades deste tipo, indica um estudo da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos.

A obsessão em tirar selfies impressionantes acaba por ser maior do que o medo do perigo, mesmo que isso signifique correr risco de vida.

Com o surgimento das redes sociais, as pessoas têm tido certos comportamentos que não teriam se não fosse pela perspetiva de validação online. Erin Vogel, pós-doutoranda no departamento de psicologia da Universidade da Califórnia, disse à National Geographic que o facto das selfies com animais selvagens se estarem a tornar normais, pode fazer com que as pessoas deixem de os associar ao perigo.

Em 2017, também um homem de 27 anos perdeu a vida ao tentar tirar uma selfie com um elefante depois de entrar ilegalmente no Parque Biológico Bannerghatta, na cidade de Bengaluru, no sul do país.

Por Ana Isabel Moura

Fonte: ZAP / mantida a grafia lusitana original 


Nota do Olhar Animal: O equívoco de achar que animal silvestre reage como um animal “de estimação” faz vítimas com frequência. É comum que os animais entendam a aproximação de humanos como uma situação ameaçadora, provocando assim a reação agressiva.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.