‘Não dava para ficar em pé’: homem enfrenta ondas da cheia do Guaíba para resgatar animais de estimação; VÍDEO

‘Não dava para ficar em pé’: homem enfrenta ondas da cheia do Guaíba para resgatar animais de estimação; VÍDEO
Geovane conseguiu salvar animais da casa que foi atingida pelo Guaíba — Foto: Arquivo pessoal

Geovane de Oliveira, motoboy de 31 anos, atendeu ao pedido de socorro do amigo Vinicius Machado para resgatar nove gatos e um cachorro que ficaram dentro de uma casa alagada pela cheia do Guaíba, no bairro Lami, zona sul de Porto Alegre.

VÍDEO: Morador enfrenta ondas da enchente do Guaíba para salvar gatos em Porto Alegre

Imagens gravadas pelo amigo mostram Geovane enfrentando ondas, formadas pela enchente no lago, para conseguir retirar os animais em segurança. Assista acima.

“Eu achava que não ia conseguir. Não dava para ficar em pé”, relembra Geovane, descrevendo a força da água que, segundo relato, poderia derrubá-lo a qualquer momento.

Os resgates foram realizados na manhã de segunda-feira (13), em três jornadas a pé. Segundo Geovane, não era possível usar um barco devido ao movimento da água.

O Guaíba voltou a superar os 4,76 metros da enchente histórica de 1941 na segunda-feira (13). Durante a tarde, o nível do lago já ultrapassava 5 metros, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA).

Os gatos foram levados dentro de uma caixa de transporte. Já o cachorro, da raça rottweiler, foi encontrado pelos amigos nadando. “Tivemos que pegar ele (o cachorro) por baixo, na barriga, e salvar do jeito que dava. Estamos bem, pelo menos não morreu nenhum animal”, relata o motoboy.

Agora, o amigo Vinicius, os animais e a família estão na casa de Geovane, que mora próximo ao local, mas não foi atingido pela água.

O Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) projeta que o nível máximo do Guaíba pode alcançar em torno de 5,50 metros nesta terça – mais que o recorde batido na última semana, de 5,35 metros.

Por Madu Brito

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.