Navio com carne de baleia impedido de acostar na África do Sul

Um navio com duas mil toneladas de carne de baleia comum foi impedido, esta semana, de acostar no porto de Durban, na África do Sul, após protestos internacionais.

O navio Alma, proveniente da Islândia, desloca-se para o Japão, tendo parado ao largo de Durban para reabastecer de combustível.

A Greenpeace anunciou que mais de 21 mil sul-africanos signatários de uma petição apelaram às autoridades portuárias para se oporem à entrada da embarcação.

«Cada país e empresas ligados ao transporte destas cargas devem estar conscientes de que tirar proveito do comércio das espécies ameaçadas é desaprovado pela comunidade internacional», disse Michael Onyeka, diretor-executivo da Greenpeace África.

«Comer ou comercializar a carne de baleia bem como o corno de rinocerontes é ilegal na África do Sul. A mobilização dos cidadãos sul-africanos de lutar pela abolição do comércio ilegal das espécies ameaçadas e da fauna foi subestimada. Este navio deixou as águas sul-africanas sem poder reabastecer-se de combustível», acrescentou.

A África do Sul é um dos membros fundadores da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies Ameaçadas (CITES), proibindo o comércio da carne de baleia comum.

Fonte: A Bola

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.