Ninguém nasce mau caráter

Sônia T. Felipe 

Todos nascemos abertos ao espelhamento do mal ou do bem que vimos à nossa volta, que imitaremos, que nos marcará, que deixará sua pegada em nossa mente, em nosso corpo e em nosso coração.

Se vivemos o mal, espelhamos mais rapidamente o mal, porque ele está solto à nossa volta. Toda criança é muito vulnerável, afetiva e emocionalmente, ao mal que os adultos lhe fazem ou fazem a alguém próximo dessa criança, quando ela não pode se defender nem pode defender a vítima da maldade adulta. Isso deixa uma marca indelével na alma infantil.

Se a criança vê que quem pratica o mal sai na boa, sem sofrer nada, ela pode concluir que esse é o melhor modo de se safar sem lesões em sua vida. Então, na hora de vir à tona uma emoção, se essa criança está marcada pelo mal, ela espelhará a emoção má. Chega a ser uma forma de catarse.

Descarregando o mal acumulado, a criança o deixa num gesto, para que os adultos possam ver o conteúdo latejante que a pressiona para o mal, que a destrói emocional e moralmente.

Em vez de xingar as crianças que praticam maldades e são cruéis contra outras crianças e animais, é bom observar esses comportamentos e se ver espelhado neles. As crianças não fazem nada que não tenham visto ou que não vivam vendo os adultos fazerem. Crianças se comportam por mimesis, imitação.


{article 105}{text}{/article}

Olhar Animal – www.olharanimal.org


 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.