No Acre, casal adota gato deficiente e improvisa cadeira de rodas

No Acre, casal adota gato deficiente e improvisa cadeira de rodas

Bióloga conta que ela e o marido adotaram o animal há uma semana. Gatinho que recebeu cadeira de rodas ainda está se adaptando.

Por Iryá Rodrigues

Com um cabide de roupas, punhos de camisa, cadarços e rodas de um carro de brinquedo foram o material usado pela bióloga Giuliana Santi, de 29 anos, e o funcionário público Bruno Duarte, de 34, para criar uma cadeira de rodas para o gato da família se locomover. O casal, que comemorou um ano juntos no dia 11, adotou o animal deficiente e diz que ele é como um presente de casamento.

Apaixonada por animais, a bióloga conta que ouviu o gato chorando na rua e pediu que o marido fosse buscá-lo. Giuliana diz que de longe não dava para perceber a deficiência. “Quando o Bruno trouxe o gatinho, vimos a deficiência dele. Na hora pensamos em cuidar, mas depois decidimos ficar com ele, adotá-lo. Ele é muito alegre e, talvez pela necessidade, não é tão independente como os outros gatinhos. Com isso, tratamos logo de melhorar a vida dele”, diz.

AC casal gato deficiente

Através de pesquisas na internet, o casal viu que poderia fazer uma espécie de cadeira de rodas usando materiais alternativos e com isso permitir que ele tivesse mais mobilidade. “Fizemos nós mesmos. Ele ainda é novo e pesa pouco, depois adaptaremos quando crescer um pouco mais”, conta.

Sobre as maiores dificuldades de ter um animal de estimação com deficiência, a bióloga diz que é principalmente quanto às necessidades fisiológicas dele. Giuliana sempre teve cachorros e gatos em casa. Segundo ela, o marido também adora animais. “As pessoas quando veem nosso gatinho Francisco, que assim chamamos em homenagem ao santo protetor dos animais, e ficam admiradas e acham ele um fofo”, conclui.

Assista ao vídeo clicando aqui.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.