Nova denúncia mostra cachorro com os ossos expostos no canil municipal de Ijuí, RS; veja vídeo

Nova denúncia mostra cachorro com os ossos expostos no canil municipal de Ijuí, RS; veja vídeo

Cenas fortes, registradas por um integrante da Gicai chocou a população ijuiense. Enquanto os animais são deixados em um ambiente totalmente hostil e insalubre no canil, o prefeito de Ijuí comemora a ExpoIjuí.

RS Ijui canil descaso

Mais uma vez integrantes da Gicai – Grupo de Incentivo ao Cuidado com Animais de Ijuí – registraram cenas fortes no canil municipal de Ijuí, ou como é denominado pela prefeitura, Centro de Zoonoses.

No último dia 20 de outubro, uma filmagem que foi gravada dentro das baias do canil e posteriormente colocada nas redes sociais e nos meios de comunicação da cidade chocou a população novamente e mostrou o descaso com que o município trata os animais naquele local.

No vídeo é mostrado um cachorro de porte médio, que chegou ao canil do dia 15 de outubro com a pata traseira direita amputada e com os ossos aparecendo. O cachorro permaneceu deitado durante toda a filmagem.

Com muita dor depois de seis dias de espera, os integrantes da Gicai resolveram tirar o animal do canil e levar até o Hospital Veterinário da Unijuí, onde recebeu o devido atendimento.

Mais uma vez vídeos e fotos provam o local insalubre, onde os animais ficam acondicionados em baias e dormem ao lado de seus próprios dejetos, caracterizando maus-tratos ao mesmos e a responsabilidade é do poder público.

No vídeo o cinegrafista retrata a atual situação do canil e pede mais uma vez ajuda a promotora de Justiça. “Os animais não têm acesso ao sol, nem a grama. Esse animal que está com a pata traseira amputada, com três ossos aparentes, ele está em condição de muito sofrimento, ele será simplesmente sacrificado ou merece atendimento?” desabafa o cinegrafista durante o vídeo.

O canil municipal tem apenas uma veterinária concursada e duas estagiárias.

O fato que gerou a comoção do público foi a falta de verba para a manutenção do canil, já que há poucos dias foi inaugurado um mosaico ou monumento na entrada da cidade com o custo de mais de R$ 28 mil e a ciclovia, que custou quase R$ 100 mil.
Mais uma vez integrantes da Gicai – Grupo de Incentivo ao Cuidado com Animais de Ijuí – registraram cenas fortes no canil municipal de Ijuí, ou como é denominado pela prefeitura, Centro de Zoonoses.

No último dia 20 de outubro, uma filmagem que foi gravada dentro das baias do canil e posteriormente colocada nas redes sociais e nos meios de comunicação da cidade chocou a população novamente e mostrou o descaso com que o município trata os animais naquele local.

No vídeo é mostrado um cachorro de porte médio, que chegou ao canil do dia 15 de outubro com a pata traseira direita amputada e com os ossos aparecendo. O cachorro permaneceu deitado durante toda a filmagem.

Com muita dor depois de seis dias de espera, os integrantes da Gicai resolveram tirar o animal do canil e levar até o Hospital Veterinário da Unijuí, onde recebeu o devido atendimento.

Mais uma vez vídeos e fotos provam o local insalubre, onde os animais ficam acondicionados em baias e dormem ao lado de seus próprios dejetos, caracterizando maus-tratos ao mesmos e a responsabilidade é do poder público.

No vídeo o cinegrafista retrata a atual situação do canil e pede mais uma vez ajuda a promotora de Justiça. “Os animais não têm acesso ao sol, nem a grama. Esse animal que está com a pata traseira amputada, com três ossos aparentes, ele está em condição de muito sofrimento, ele será simplesmente sacrificado ou merece atendimento?” desabafa o cinegrafista durante o vídeo.

O canil municipal tem apenas uma veterinária concursada e duas estagiárias.

O fato que gerou a comoção do público foi a falta de verba para a manutenção do canil, já que há poucos dias foi inaugurado um mosaico ou monumento na entrada da cidade com o custo de mais de R$ 28 mil e a ciclovia, que custou quase R$ 100 mil.

Veja vídeo: Cedido por Gicai

Fonte: Portal Ijui

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.