Novo vídeo expõe crueldade contra animais em Fazenda da Carolina do Norte, EUA

Novo vídeo expõe crueldade contra animais em Fazenda da Carolina do Norte, EUA

Por Jon Camp / Tradução de Ana Lidia

As imagem aparentam mostrar aves sendo espancadas ou arremessadas

Novo vídeo obtido exclusivamente pela ABC11, que pretende expor a crueldade contra animais em uma fazenda de avicultura no Condado de Robeson (Carolina do Norte), mostra claramente o que poderia ser perdido, se o novo projeto de lei for aprovado pela Legislatura da Carolina do Norte.

“Vemos os trabalhadores espancando e arremessando as aves”, diz Erica Meier do grupo de direitos animais Compassion over Killing (Compaixão para matar). “Há aves doentes e feridas que são puxadas para fora da linha de abate e descartadas nas pilhas de mortos, que inclui não apenas aves mortas, mas também as agonizantes, sendo as aves tratadas como lixo.”

O grupo de Meier contratou um investigador disfarçado para conseguir um emprego na Mountaire Farms (Fazendas Mountaire) e filmar os abusos que ocorrem lá. E é exatamente este cenário que o novo projeto de lei tem como alvo: vídeos ou fotos tiradas por alguém que tenha conseguido o emprego especificamente para demonstrar a ilegalidade.

“Destina-se a impedir a delação”, disse Meier. “Destina-se a parar as investigações sigilosas que descobrem atos violentos de abuso contra animais cometidos a portas fechadas nas empresas de agronegócio.”

Apoiadores do projeto de lei dizem que não haveria efeitos negativos sobre os delatores porque não atingiria as pessoas que já estejam empregadas e testemunhem um comportamento reprovável no local de trabalho.

Se isso fosse um projeto de lei anti-delação, eu nem de longe apoiaria,” disse um dos responsáveis pelo projeto de lei há duas semanas.

Na sua essência, o Projeto de Lei 405 da Carolina do Norte coloca frente a frente o direito de informação do consumidor e o direito à privacidade da empresa.

E não afetaria apenas o agronegócio. O projeto de lei seria aplicado a todas as empresas na Carolina do Norte (ou seja, creches, centros de cuidados a adultos, educação, meio-ambiente etc)

Vinnie Doria, proprietário do The Twisted Mango, em Raleigh, ao mesmo que acredita que os vídeos mostrando os abusos podem ser úteis, como proprietário de um negócio, vê benefício na proteção garantida pelo Projeto de Lei.

“Não sou a favor de alguém entrar ilegal e clandestinamente para tentar encontrar algo”, disse Doria. “Porque, às vezes, eles interpretarão errado o que estão vendo e superdimensionarão para algo que não condiz realmente com a situação.”

Um casal de clientes de Doria enxerga a situação diferentemente: “Eu digo: investigue!,” disse Willie Watkins. “Se está errado, está errado.”

“Apenas faça o que você deve que fazer”, disse Walter Williams, amigo de Watkins. “Se for a coisa certa, em qualquer que seja o emprego, faça a coisa certa e então você não precisará se preocupar com as pessoas filmando-o fazendo algo errado.”

Meier diz que o vídeo viola as leis de proteção aos animais. O grupo dela, Compassion over Killing, levou-a ao Procurador do Condado de Robenson, demandando uma investigação.

O projeto de lei 405 foi aprovado pela Câmara e agora está no Senado.

EUA carolinadonorte videofrangos

Fonte: ABC News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.