Número de denúncias é positivo, diz diretor da Secretaria de Meio Ambiente de Curitiba

Apesar do número espantoso de denúncias diárias, Alexander Biondo, diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação de Fauna da SMMA, aponta que o balanço pode ser considerado positivo. ‘O grande número de denúncias é positivo porque mostra que o curitibano não tolera maus-tratos. Se alguém chuta um cachorro, daqui cinco, dez minutos, alguém já ligou denunciando, outra pessoa mandou foto, vídeo’, afirma.

Esse tipo de mobilização do curitibano para ajudar e proteger os animais pode ser notada no caso do Pinheirinho. Diversas pessoas que moram na região já tiraram cães do local de desova e os encaminharam para adoção. A situação, porém, é tão grave que o problema persiste e a comunidade pretende se reunir no local para fazer um protesto.

A gravidade da violência contra os animais pode aumentar à medida que a violência doméstica também se agrava. “A exacerbação do perfil do homem que tem entre 25 e 45 anos é a violência contra animais, crianças e contra a mulher”, aponta Biondo. “O espírito masculino é essa agressão domintante. E grande parte desses homens provoca a violência contra animais de maneira de coagir o filho e a esposa, como se quisesse dizer ‘se eu faço isso com esse animal, imagina o que eu poderia fazer com você’”, completa.

Fonte: Bem Paraná

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.