Número de gatos abandonados nas ruas de Uberaba (MG) gera preocupação

Número de gatos abandonados nas ruas de Uberaba (MG) gera preocupação
Número de gatos abandonados na cidade vem aumentando (Fotos: Reprodução/TV Integração)

O número de gatos abandonados nas ruas de Uberaba impressiona. O trabalho de protetores independentes ajuda a amenizar um pouco a situação, mas não é suficiente. Além disso, há a preocupação com o risco de problema de saúde pública, devido à falta de controle da natalidade destes animais. Em nota, Prefeitura comentou sobre o assunto.

Dezoito gatos vivem na casa da Marisa Agreli: nove são dela e o restante aguarda por adoção. Apaixonada pelos bichanos, a protetora independente não consegue fechar os olhos para o abandono.

“Quando vimos filhotes passando fome, doentes a gente se vê na obrigação de fazer algo para ajudá-los. Infelizmente não podemos ajudar todos. Precisávamos de uma ajuda maior para conseguirmos tirar estes animais desta situação”, disse a protetora independente.

Em Uberaba, a estimativa é que existam cerca de 12 mil animais abandonados, segundo a Sociedade Uberabense de Proteção Animal (Supra). No caso dos cães, existe uma ONG e casas de apoio que atuam no resgate e atendimento, entretanto, para os gatos ainda não tem nenhum suporte na cidade, contam apenas com a boa vontade de voluntárias individuais.

Nádia de Souza Mazeto também é protetora individual e faz parte de um grupo de aproximadamente 20 pessoas que tem lutado pelos gatos. Além do resgate e adoção, um dos focos da ONG é a castração. Em um ano e meio, já conseguiram operar cerca de 120 animais. “A gente comprou uma gatoeira, por meio de eventos que fizemos. Montamos a armadilha para pegar os gatos um pouco mais ariscos e levamos para castrar”, contou.

Simone Rossetto também é protetora individual há 16 anos. Ela cria cinco gatos, além de dois que moram na casa dela temporariamente até conseguirem um lar definitivo. “Meus gatos são uma paixão. A presença deles se tornou uma necessidade; são como filhos”, comentou.

Protetoras estão preocupadas com situação dos animais
Protetoras estão preocupadas com situação dos
animais

Preocupação

Para Simone e para todas as protetoras que se dedicam a cuidar dos gatos, o envolvimento do poder público nesse trabalho é fundamental. “Precisamos da atenção do poder público para esta situação. Os animais se reproduzem muito rápido e existem a possiblidade de desenvolverem doenças, que podem ser transmitidas ao ser humano”, observou.

“Tem que ter mais ações. Enquanto não houve uma ação em massa de castração, acho que a tendência é piorar e acabarmos tendo um problema de saúde pública por causa disso”, ressaltou Nádia.

Trabalho

Em nota, a assessoria de comunicação da Prefeitura informou que o Departamento de Endemias vem trabalhando no controle da superpopulação de animais e que já tem um projeto para obra de adequação do centro cirúrgico do canil do Centro de Controle de Zoonoses para realização das castrações e está viabilizando recursos para essa finalidade.

Fonte: G1 (com informações do MGTV)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.