O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) toma medidas para acabar com a cruel marcha “Big Lick” para cavalos

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) toma medidas para acabar com a cruel marcha “Big Lick” para cavalos
As investigações secretas da Humane Society of the United States documentaram a realidade cruel da prática do "horse soring", uma mutilação que força uma marcha exagerada em cavalos de exposição conhecida como “Big Lick”. Foto: Humane Society of the United States

Hoje, o Departamento de Agricultura dos EUA anunciou uma regra final há muito esperada que ajudará a acabar com o “horse soring”, uma prática extremamente cruel na qual os treinadores secretamente e deliberadamente causam dor intensa em cavalos para produzir a “Big Lick”, uma marcha exagerada e de passo alto premiada pelos juízes em alguns circuitos de exposições de cavalos Tennessee Walking Horse e raças relacionadas.

“O soring causa agonia nos cavalos, tudo para criar um espetáculo nas pistas de exibição”, disse Kitty Block, presidente e CEO da Humane Society of the United States. “Estamos lutando contra as crueldades do soring há décadas, e isso precisa acabar agora. Nenhum animal deveria ser tão cruelmente atormentado por qualquer motivo, muito menos por entretenimento.”

Em treinamentos e competições, os treinadores envolvidos em soring aplicam produtos químicos dolorosos nas patas dos cavalos e os envolvem firmemente com filme plástico para “cozinhar” os produtos químicos na carne. Em seguida, os cavalos são forçados a usar ferraduras pesadas, semelhantes a saltos altos, e correntes de metal que batem repetidamente em seus tornozelos feridos. Alguns treinadores chegam a cortar os cascos até o tecido sensível e colocar objetos duros ou afiados.

“Há poucas vitórias para os animais tão amargas quanto esta. Nosso trabalho para acabar com essa crueldade abjeta é um testemunho de que nunca desistimos de acabar com o soring de cavalos, uma prática flagrante que não foi controlada por muito tempo. Você consegue se imaginar infligindo tamanha dor em troca de uma cavalgada de passos altos em volta do ringue para ganhar uma fita azul? Eu não consigo, assim como várias organizações de equinos e veterinárias e os principais patrocinadores da Lei PAST”, disse Sara Amundson, presidente do Humane Society Legislative Fund. “Finalmente, o Departamento de Agricultura dos EUA dá um passo fundamental para proteger os cavalos dessas crueldades inimagináveis, e nossa sociedade está melhor por isso.”

A regra elimina o sistema de inspetores do setor. O USDA agora atribuirá a responsabilidade exclusiva ao seu Serviço de Inspeção Sanitária Animal e Vegetal para selecionar, treinar e autorizar os inspetores. A regra cria um sistema no qual os inspetores são veterinários ou técnicos veterinários, ou outras pessoas empregadas por agências governamentais estaduais ou locais para fazer cumprir as leis e regulamentações relacionadas ao bem-estar animal.

A regra também proíbe o uso, em um Tennessee Walking Horse ou Racking Horse, de todos os dispositivos de ação que atinjam a perna do cavalo ou ferraduras altas, semelhantes a saltos altos (conhecidas como “stacks”), em qualquer show, exposição, venda ou leilão de cavalos. Um dispositivo de ação é qualquer bota, coleira, corrente, rolo, contas, pulseiras ou outro dispositivo que envolva ou seja colocado na parte inferior da perna do cavalo de forma que possa girar em torno da perna ou deslizar para cima e para baixo da perna, de modo a causar atrito, ou que possa atingir o casco, a coroa ou a articulação.

Ao aprovar a Lei de Proteção ao Cavalo em 1970, o Congresso pretendia acabar com o soring, mas a prática continua difundida entre alguns treinadores de cavalos que trabalham com as raças Tennessee Walking Horse e Racking Horse. Agora, mais de meio século depois, o USDA ainda encontra repetidamente evidências do uso generalizado e contínuo de técnicas de soring e de substâncias proibidas usadas para ferir as pernas dos cavalos ou mascarar evidências de soring.

Investigações secretas separadas realizadas pela Humane Society of the United States levaram à prisão e à condenação de um importante treinador por violações da Lei de Proteção ao Cavalo e de outras leis e revelaram evidências de que as pernas de todos os cavalos Big Lick em outro estábulo premiado estavam sendo feridas com substâncias proibidas. Mas esses processos foram a rara exceção à regra de aplicação insuficiente da lei devido, em grande parte, a regulamentações fracas. Os dados do USDA indicam que o soring de cavalos continua sem interrupção nessa categoria do setor. A maioria dos membros da diretoria da Walking Horse Trainers Association foi autuada por violar a Lei de Proteção ao Cavalo.

O fim da prática de horse soring é amplamente apoiado pelo Congresso. A lei Prevent All Soring Tactics (PAST) Act (S. 4004 e H.R. 3090) codificaria os principais elementos dessa regra, incluindo a eliminação do sistema falho de autopoliciamento do setor e o uso de dispositivos que fazem parte do soring. A Lei PAST também aumentaria as penalidades e tornaria ilegal o ato subjacente de praticar o soring de um cavalo. A legislação foi aprovada duas vezes por uma esmagadora maioria bipartidária na Câmara e tem sido consistentemente copatrocinada por uma maioria em ambas as câmaras desde 2014. O Congresso também expressou seu apoio às regulamentações atualizadas por meio de apropriações de linguagem em cada um dos últimos quatro anos, solicitando a rápida proposta, finalização e publicação da nova regra final.

Por Kate Sarna / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: Humane Society of the United States

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.